TODO PODER EMANA DO POVO

Acessos

Mostrando postagens com marcador PF. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PF. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Cai a máscara de Edivaldo Holanda Jr - sua gestão rouba recursos da Saúde e PF sai no encalço da quadrilha

 
   Simulando compra de máscaras descartáveis, a gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior embolsou R$ 1.811.600 do erário municipal, desviando recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19). Nesta sexta-feira (30), a PF saiu no encalço da quadrilha em São Luís e Paço do Lumiar. 

    Os policiais federais tinham em mãos 17 mandados de busca e apreensão, e 7 medidas de afastamento de função pública e proibição de acesso a SEMUS. 

   Há a participação de diversos servidores da Secretaria Municipal de Saúde de São Luís na falsificação de documentos públicos. Mediante o envio de propostas para a empresa contratada com um superfaturamento de mais de 100%. Uma máscara descartável ao custo de R$ 9,90. 

  Uma das empresas suposta vencedoras do processo de contratação, tem alvará de funcionamento de oficina mecânica e nunca fornecido máscaras, nem qualquer insumo médico. 

    A Justiça Federal determinou o sequestro de bens dos principais investigados, no valor total de até R$ 1.050.000. A PF Identificou que as empresas envolvidas pertencem à mesma família. Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, fraude em processo licitatório, superfaturamento na venda de bens e associação criminosa.

domingo, 20 de setembro de 2020

Por que o MP e Poder judiciário escondem os esquemas criminosos da Globo entregues em 2018 para a PF?

sábado, 11 de julho de 2020

Fraudadores e parasitas tratam o povo de Paço do Lumiar como abestados e sem memória

Fraudadores e parasitas da política luminense persistem em tratar a população de Paço do Lumiar como se fossem bando de bestas sem memória.

Paço do Lumiar foi inviabilizada por uma década devido aos parasitas
A começar pelo triste episódio da Operação Aliens (parasitas) da PF, que desarticulou a quadrilha que arrasou com os cofres de Paço ... integrantes da mesma quadrilha articulam neste 2020 candidaturas para recomeçarem suas operações escusas.

Quem não sabe que dentre os pré-candidatos tem candidatura articulada pela mesma quadrilha de 2012. Basta acompanhar seus movimentos.

O método e os esquemas deles são conhecidos (comprar partidos, distribuir cestas básicas, distribuir bandecos, comprar lideranças, fraudar transferência de títulos e pesquisas eleitorais, etc).

Fraude na transferência de títulos – em apenas quatro meses – 2.868 títulos foram transferidos para a Comarca eleitoral de Paço do Lumiar, conforme consta no sistema da Justiça eleitoral.

Fraude em pesquisas eleitorais – A mesma quadrilha têm contratado pesquisas eleitorais, excluindo alguns pré-candidatos do Município – induzindo o eleitor para suas pré-candidaturas, conforme revelação de um confiável blog

Este Blog ajustou seus radares para Paço do Lumiar e estará de olho nas movimentação dessa gente não confiável – seus passados lhes condenam e é um perigo para os cofres de Paço, que cabe à população protegê-los.

sábado, 15 de agosto de 2015

EXCLUSIVO!! DINHEIRO SUJO DE EMPREITEIRAS NA CONTA ELEITORAL DE FLÁVIO DINO RESULTARÁ NA ANULAÇÃO DA ELEIÇÃO PARA GOVERNADOR DO MA OU INELEGIBILIDADE DO COMUNISTA. BASTA UMA REPRESENTAÇÃO.

Com os desdobramentos da operação Lava Jato, a PF e o MPF descobriram que há indícios de doações eleitorais com recursos desviados da Petrobrás e repassados para os operadores abastecerem aliados da candidatura de Dilma. O dinheiro da corrupção abasteceu a campanha de Flávio Dino e de outros candidatos. A própria justiça eleitoral, sem saber, foi usada para lavar a grana suja.

Após desmascarados, os beneficiados com a corrupção têm apenas uma frágil defesa: “Está tudo declarado na justiça eleitoral”.

Levantamentos da PF e MPF mostram que Roseana Sarney e Flávio Dino receberam recursos do esquema de corrupção na Petrobrás. Para Roseana a soma chega a R$ 2 milhões. Já para Flávio Dino a cifra suspeita ultrapassa R$ 3 milhões provenientes de doações de empresas envolvidas com a corrupção.

Os depoimentos dos delatores, o Relatório da PF/MPF e os próprios dados da Conta de Campanha de Flávio Dino de Castro e Costa são suficientes para:

REPRESENTAÇÃO POR CAPTAÇÃO ILÍCITA DE RECURSOS E CONDUTAS VEDADAS AOS AGENTES PÚBLICOS EM CAMPANHAS ELEITORAIS.

QUAIS SÃO OS FATOS?

Relatórios enviados pela PF ao STF em três inquéritos da Operação Lava Jato, afirmam que a coleta de provas realizada até agora sobre o envolvimento de políticos "indica a tipicidade da doação eleitoral como forma de corrupção".


Empresas relacionadas na Lava Jato que fizeram doações ao PC do B ou a candidatos do PC do B.



O esquema do PT estabelecia as cotas para os partidos aliados. Ao PC do B coube a lavagem de R$ 4 milhões em forma de doações do dinheiro desviado da Petrobrás e de outros setores da Nação Brasileira.

Daí veio as parcelas para campanha de Flávio Dino.

Em depoimento em regime de delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que “nenhum candidato no Brasil se elege apenas com caixa oficial de doações”. Ele disse ainda que “os valores declarados de custos de campanha correspondem em média a apenas um terço do montante efetivamente gasto, sem o restante oriundo de recursos ilícitos ou não declarados”.

QUAL A BASE LEGAL?
Confrontando os fatos acima com a legislação em vigor, temos que:
1 – O abastecimento da Campanha do ora governador do Maranhão com recursos ilicitamente obtidos em contratos com a Petrobras, afetou a igualdade de oportunidades entre candidatos e constitui inquestionável interferência do poder econômico em desfavor da liberdade do voto.

2 - À luz do que dispõe o artigo 73, inciso I e Parágrafo 5º, da Lei 9.504/97, ceder ou usar em benefício de candidato, bens pertencentes à administração pública, resulta na cassação do diploma do candidato beneficiado.

3 – O artigo 222 do Código Eleitoral, diz: “É também anulável a votação, quando …, uso de meios de que trata o artigo 237....”.
Art. 237 – “A interferência do poder econômico e o desvio ou abuso do poder de autoridade, em desfavor da liberdade do voto, serão coibidos e punidos”.

Eis aí o abuso do poder econômico, como forma de desequilibrar o pleito de modo ilícito em favor do candidato Flávio Dino.

EXISTE PRAZO PARA REPRESENTAÇÃO?
O prazo prescricional passa a contar da data em que os crimes foram descobertos. Somente agora com o desenrolar da Lava Jato e que o esquema se tornou público, vitimando milhões de brasileiros com a crise econômica e política.
Não se trata de uma ação para cassar o mandato do SR. Flávio Dino (isto poder ser apenas consequência), mas trata-se de ação para anulação do pleito ou decretação de sua inelegibilidade para as eleições que ocorrerem nos 8 anos seguintes.

O abuso pode vir a ser descoberto apenas depois da diplomação e até mesmo depois da posse do candidato eleito, como é o caso.

Os fatos e o direito estão postos no nariz do Ministério Público, do partido, ou do eleitor que quiser exerce-lo.

A legislação eleitoral disciplina quais as possíveis fontes de financiamento das quais os candidatos se podem beneficiar, especificando, também, quais as pessoas ou entidades às quais é permitido fornecer recursos para campanhas eleitorais. Para as fontes de financiamento lícitas, inclusive para doações de campanha efetuadas por pessoas físicas ou jurídicas, existem limites estabelecidos na legislação eleitoral. Fornecer e aceitar recursos de campanha para além desses limites poderá importar também em abuso do poder econômico, a ensejar reconhecimento da consequente inelegibilidade do beneficiário e dos que lhe hajam fornecido esse indevido aporte de recursos de campanha.

Não existe a necessidade de provar que os recursos ilícitos foram decisivos para a eleição de Flávio Dino, basta esta demonstração de que o esquema de doação de recursos roubados dos cofres públicos fora potencial para desequilibrar o pleito em favor do candidato Flávio Dino.


Basta uma representação. O que já estaria pronta pela pena de especialistas em direito eleitoral, contratados pelos Sarney e Murad.


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

EXCLUSIVO!! Veja os processos na justiça Federal nos quais Flávio Dino tenta botar Ricardo Murad e mais 20 na cadeia. E a reação dos Sarney.

Ricardo Murad é acusado de dispensar licitação e firmar contrato de mais de R$ 25 milhões para reforma e ampliação do Hospital Carlos Macieira. Depois mais um contrato de mais de R$ 39,5 milhões com um aditivo de R$  6 milhões. Muitas outras irregularidades são citadas.
Aqui Ricardo Murad e mais 18 réus são acusados de enriquecimento ilícito. Tem pedido urgente de liminar.

Neste, Flávio Dino acusa Ricardo Murad e 13 réus de violar princípios administrativos.

Antes desses dois processos, Flávio Dino já havia tentado impedir as ações de Ricardo Murad. Um dos operadores da pré-campanha de Flávio, Marcus Felipe Klamt (PSB) emprestou seu nome para formalizar a ação pedindo liminar para interromper obras de hospitais, suspeitas de irregularidades.

Não Tiveram êxito. O juiz federal não concedeu a liminar e acaba de declinar de sua competência. 

O governo do Estado também articulou uma CPI para infernizar ainda mais a vida dos Sarney.

As ações dos comunistras, na verdade, tem o objetivo de alcançar Roseana Sarney.

A REAÇÃO DOS SARNEY.

Os Sarney mexem em Brasilia e Paraná para complicar o mandato de Flávio Dino.

É que a PF diz em relatório que doações eleitorais foram feitas em forma de corrupção.

No Maranhão, UTC abasteceu as campanhas de Roseana Sarney e Flávio Dino com dinheiro desviado da Petrobrás.

Para Roseana há suspeitas de que foram R$ 2 milhões. Para Flávio Dino foram R$ 300.000,00.

A doação para Roseana precisa ser comprovada.

Já para Flávio Dino ela está declarada na prestação de contas do governador.

Vem bombas por aí.

As doações de procedência suspeita para Flávio Dino somam mais de R$ 3.500.000,00.

A Construtora OAS também envolvida na corrupção da Petrobrás abasteceu Flávio Dino em R$ 1.150.000,00.

As investigações apontam para uma conclusão óbvia: dinheiro da corrupção e de outros crimes vem abastecendo as campanhas eleitorais e legalizados na Justiça Eleitoral brasileira.

O governador do Maranhão tem muitas explicações a dar.

É a briga dos sujos com um mal lavado.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

EXCLUSIVO!!!! ABUSO DE PODER ECONÔMICO NA CARA DO TRE, DO MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL E DECLARAÇÃO DE SARNEY.


O esquema está claro, no mesmo período em 2013, Roseana Sarney só passou para os municípios o que mostra o primeiro gráfico. O segundo gráfico mostra Roseana Sarney acelerando o repasse para os prefeitos abastecerem as campanhas de aliados, inclusive para a campanha de governador. Só nos últimos 6 dias de agosto R$ 2.996.063,95 já foram torrados. 


Daí, a razão de Lobão Filho ajuntar tantos prefeitos e Sarney declarar que já ganhou E COMEMORAR EM FAMÍLIA!!.

ACORDA FLÁVIO DINO ESTÃO TE TOMANDO A ELEIÇÃO NOVAMENTE NA CARA DO MPF E DO TRE!!

terça-feira, 29 de abril de 2014

DA TOCA DOS RATOS PARA A TOCA DOS LOBOS.

Tacaram chumbinho na toca dos Sarney. Agora eles planejam esconderem-se na toca dos lobos. A rataiada tá correndo pra lá aos montes.

Se os Sarney são frios e calculistas, os maranhenses ainda não viram nada.

Em 'Honoráveis  Bandidos' (livro de Palmério Dória), Lobão é descrito como um especialista em trabalho sujo.

"Quando precisavam de alguém para fazer um 'trabalho sujo', o superintendente dos Diários e Emissoras Associadas em Brasília, Edilson Cid Varela, gritava:

"Manda pro Lobão!"


"O Lobão é de uma frieza glacial. Vai ser fiel ao Sarney até o velório. Mas, antes da missa do sétimo dia, já toma o poder dos meninos".

Esse mesmo Lobão está sendo acusado de envolvimento nos esquemas de corrupção na Petrobrás, conforme Folha de São Paulo.


O filho segue os passos do pai. Como a política se tornou um bom negócio, Edinho Lobão se especializou:


Sonegação fiscal, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e estelionato, a ficha do candidato da Oligarquia Sarney:



LEIA MAIS....AQUI!

segunda-feira, 4 de março de 2013

BOMBA! Finalmente, o Vereador Alderico Campos vai botar a “boca no trombone”.


O vereador que se manteve omisso durante 4 anos em Paço do Lumiar, assistindo e protegendo por omissão a onda de corrupção da gestão de Bia Venâncio que arrasou o Município, anuncia agora que fará pronunciamento bombástico na Câmara de Vereadores, conforme anuncia o blog apócrifo A VOZ LUMINENSE.

A população e o MP estão na expectativa. Eu apoio:

- Bote a boca no trombone e diga aos luminenses quanto era cobrado de Bia Venâncio para votar os projetos na Câmara sob sua Presidência, conforme gravação da Polícia Federal:


- Vereador Alderico Campos, bote a boca no trombone e diga por que os vereadores fizeram vista grossa aos desvios de mais de 28 milhões de recursos federais destinados a Paço do Lumiar, conforme comprovado pela PF. (CONFIRA).

- bote a boca no trombone e fale sobre o favorecimento (CONFIRA) dos vereadores em quotas de emprego na prefeitura para ficarem calados e por que foram engavetadas as denúncias que a população fazia por escrito na Câmara.

- Vereador Alderico Campos, na Presidência da câmara o Senhor assistiu o desvio de 4,476 milhões do SUS, conforme o Relatório de Auditoria Nº 10.398 do DENASUS; o desvio de 13,677 milhões destinados para pavimentação de ruas, conforme relatório de auditoria federal e desvio de 3,155 milhões também para pavimentações de ruas, conforme auditoria do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (CONFIRA). O que o Sr. Tem a dizer sobre isto? Bote a boca no trombone!!

- Vereador bote a boca no trombone e fale para população luminense sobre o acordo que fez com Bia Venâncio, com a homologação de Nelma Sarney (no Agravo de Instrumento nº 7.539), onde R$ 600.200,00 da prefeitura foram repassados para Câmara irregularmente, passando por cima de determinação do STF. (CONFIRA)

- Bote a boca no trombone e revela-nos como conseguiu permissão da prefeitura de Paço do Lumiar para fazer construções particulares em área de preservação ambiental, conforme imagens abaixo.

Revele todos esses esquemas para a população, ela está ansiosa aguardando.

CONSTRUÇÃO DO VEREADOR ALDERICO CAMPOS SOBRE ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL  FOI INVADIDO E DESTRUÍDO PARTE DO BRAÇO DO RIO PACIÊNCIA, NO SÍTIO GRANDE.  

VISTA AÉREA DO EMPREENDIMENTO DO VEREADOR CONSTRUÍDO MUITO ALÉM DA MARGEM DA PISTA   
OUTRO EMPREENDIMENTO, QUE TAMBÉM SERIA DO VEREADOR TAMBÉM INVADIU A ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL AOS OLHOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DO PODER MUNICIPAL.
COM A PALAVRA, O VEREADOR ALDERICO CAMPOS. 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

JUIZ FEDERAL CONCEDE LIBERDADE PROVISÓRIA PARA EX-PREFEITA DE PAÇO DO LUMIAR.



Processo:
0045958-79.2012.4.01.3700
Classe:
305 - LIBERDADE PROVISÓRIA COM OU SEM FIANÇA
Vara:
1ª VARA FEDERAL
Juiz:
NEY DE BARROS BELLO FILHO
Data de Autuação:
13/12/2012
Distribuição:
2 - DISTRIBUICAO AUTOMATICA (13/12/2012)
Nº de volumes:
Assunto da Petição:
9080000 - LIBERDADE PROVISÓRIA - DIREITO PROCESSUAL PENAL
Observação:
Localização:
MPF - MPF

Movimentação
Data
Cod
Descrição
Complemento
09/01/2013 17:57:10
126
CARGA: RETIRADOS MPF
INTERESSADO:MPF
09/01/2013 17:32:24
204
OFICIO EXPEDIDO
OF. 20/2012 - SR/DPF/MA
09/01/2013 17:26:41
153
DEVOLVIDOS C/ DECISAO OUTROS (ESPECIFICAR)
 A Ex-Prefeita de Paço do Lumiar estava sob monitoramento eletrônico determinado pela Justiça Federal em razão do desvio de mais de 28 milhões dos cofres da prefeitura.
BIA VENÂNCIO FICOU MAIS DE TRES MESES PORTANDO UMA TORNOZELEIRA ELETRÔNICA COLOCADA PELA PF.
A ex-prefeita continua respondendo a vários processos civis e criminas na justiça comum e na justiça federal. 

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

MAIS QUE SUSPEITOS: DELEGADO DA PF, ADVOGADO DO AGIOTA GLAÚCIO E DA BIA, O CHEFE DA CGU JUNTOS SORRINDO NO VELÓRIO.


A foto que ilustra este post já havia sido publicada aqui antes. Mas estava “cortada” e nela apareciam apenas o advogado Ronaldo Ribeiro (de paletó, sorrindo) e Pedro Meireles (de camiseta azul-escuro, também com um belo sorriso no rosto), como se vê aqui.

Roberto Viégas
Ocorre que da pequena reunião da qual os dois participavam – durante o velório do jornalista e blogueiro Décio Sá, em abril deste ano – também fazia parte o chefe da regional Maranhão da Controladoria Geral da União (CGU), Roberto Viégas (de óculos escuro, também sorrindo na foto acima  - é ele na foto ao lado).
A maioria das ações da Polícia Federal comandadas pelo delegado federal Pedro Meireles – que aparece em depoimento do agiota Glaucio Alencar e já prestou depoimento no inquérito que apura a morte do jornalista – era feita em parceria com a CGU, de Viégas.
Inclusive a Operação Donatários, no Incra…
FONTE: Gilberto Leda.
Como se estivessem comemorando, os suspeitos dão gaitadas no velório de Décio Sá.

O advogado Ronaldo Henrique Santos Ribeiro advoga para Gláucio e para Bia Venâncio. Com a conivência de gente de dentro do TJMA, ele ficou 92 dias com o processo 31.678/2011 contra Bia Venâncio impedindo o julgamento.

Agora com a possível ligação do Chefe da CGU com a organização que matou Décio Sá e desvia recursos públicos no Maranhão, a coisa se complica.

Se não bastece a omissão do MPF do Maranhão, agora tem mais essa.

Vou reiterar: 

É NECESSÁRIO E URGENTE UMA INTERVENÇÃO FEDERAL NO MARANHÃO, COM UMA CPI PARA ELIMINAR ESTA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA QUE SE INSTALOU NO ESTADO E POSSUI TENTÁCULOS NOS PODERES CONSTITUÍDOS.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Diante do pouco caso das autoridades do Maranhão, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal pede à PF instauração de inquérito policial para investigar execução do jornalista Décio Sá.

Prevendo o arquivamento de mais um caso de pistolagem, a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados protocolou ontem (17), junto à direção da Polícia Federal, em Brasília, requerimento solicitando a instauração de inquérito policial “para investigação federal do assassinato do jornalista maranhense Décio Sá”.
Ele era um cidadão, um jornalista, exercia cidadania. As vezes que errou respondeu na justiça. É assim pra todos. Entre erros e acertos, ele foi a voz dos que clamam por justiça, foi a voz dos covardes que o cercavam. Estes agora abandonam sua causa, são contrários a elucidação do seu assassinato. Não o conheci pessoalmente, mas não silenciarei diante da omissão daqueles que defendias. Também não estão em silêncio alguns dos teus amigos jornalistas e blogueiros. JUSTIÇA E PAZ! 

O presidente da Comissão, deputado federal Domingos Dutra (PT-MA), justificou o pedido com base no resultado da diligência que a CDHM fez na semana passada á São Luís (MA).

No requerimento o deputado reforça o papel da comissão – o que explica o porquê do interesse daquele setor da Câmara Federal em acompanhar o trabalho de investigação do assassinato do jornalista maranhense; cita o que já foi feito pela CDHM; e comenta o estágio das investigações no Maranhão, o que preocupou os deputados que passaram dois dias no Estado, reforçando o pedido de federalização das investigações.

O QUE FOI FEITO – De acordo com o deputado Domingos Dutra, ao tomar conhecimento do bárbaro assassinato do jornalista Décio Sá, no dia 23 de abril passado e ter sido provocada a acompanhar o caso, a CDHM “para dar cumprimento a sua missão constitucional e regimental” instaurou vários procedimento para acompanhar a apuração dos fatos.

A Comissão encaminhou dois ofícios (Ofícios nº 173 e 174), dia 24 de abril – ao secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, Aluísio Mendes, e à Procuradora-Geral de Justiça daquele Estado, Fátima Travassos, informando que a decisão da Comissão em acompanhar o caso e solicitando informações acerca das medidas adotadas pelos órgãos para apuração do ocorrido.

A CDHM também expediu uma nota oficial, dia 24, contestando o assassinato e a pistolagem no Maranhão; aprovou, dia 08 de maio, o Requerimento nº 101, de autoria do próprio presidente da comissão para realização de diligência ao Maranhão; e realizou a referida diligência, com a participação dos deputados Domingos Dutra (PT/MA), Severino Ninho (PSB/PE) e deputada Erika Kokay (PT/DF), que cumpriram uma extensa agenda de audiências com autoridades do Estado e representantes de organizações da sociedade civil.

O QUE A COMISSÃO CONSTATOU No relatório – que a Comissão anexou ao protocolo na Polícia Federal, os parlamentares observaram, dentre outras coisas, que a execução do jornalista Décio Sá é uma afronta e ameaça à liberdade de expressão; “o crime possui nítidas características de encomenda”; e que “tem elementos que indicam a participação de grupos de extermínio e organizações criminosas ligadas a esquemas poderosos, talvez com interesses e ramificações no poder público”.

Os deputados afirmam que mesmo diante da gravidade do fato e da repercussão nacional e internacional do crime, “o  inquérito policial tramita em um estranho e absoluto segredo decretado pelas autoridades do sistema de segurança e até o momento está sem conclusão”.

E citam que a Secretaria de Segurança Pública do Estado não requisitou a cooperação ou auxilio de organismos federais com jurisdição na capital do Estado como a Policia Rodoviária Federal (PRF), Capitania dos Portos, Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Infraero para monitorar todas as rotas de fugas dos executores por vias terrestre, marítima e aérea, providências elementares.

“Da mesma forma, a cooperação técnica e humana da Policia Federal tem sido pontual e residual, sendo desprezada a experiência profissional e o aparelhamento técnico desta respeitável instituição de investigação”, diz Domingos Dutra no requerimento à PF.

CADÊ O RETRATO FALADO? – A CMDH estranha, ainda, que passados 24 dias, o retrato falado do executor ainda não foi divulgado. “A falta do retrato falado despotencializa a identificação do executor, já que impossibilita a utilização da imagem nos programas televisivos de grande audiência que tem contribuído para identificar matadores de aluguel em vários estados do Brasil”, diz o requerimento.

Os parlamentares também ressaltam que os ofícios expedidos pela Comissão ao Secretario de Segurança Pública do Estado e à Procuradora Geral do Ministério Público Estadual “até o momento não foram respondidos” e que durante a diligência realizada na capital maranhense as autoridades do Sistema de Segurança foram os únicos a não receberem os parlamentares, “evidenciando ausência de transparência e disposição desses órgãos de recusarem qualquer tipo de contribuição ou cooperação no processo de elucidação desta execução”.

O Deputado Domingos Dutra reafirma no documento entregue à PF que a barbaridade desse crime exige que as investigações sejam rápidas e transparentes. “Há que serem acompanhadas pelos Ministérios Públicos Federais e Estaduais e pela Polícia Federal a fim de garantir isenção, evitar queima de arquivos ou métodos que desvie as responsabilidades dos principais executores e mandantes do crime, prejudicando o Estado democrático de direito, acrescentou o parlamentar.

Veja anexo, na integra, o documento protocolado pela CDHM na PF e  os ofícios enviados ao Secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, Aluísio Mendes, e à Procuradora-Geral de Justiça do Estado do Maranhão, Dra. Maria de Fátima Rodrigues Travasso Cordeiro.





COMENTÁRIOS DO BLOG:

Acompanhei a estada da Comissão na Maranhão. A imprensa local simulou um suposto interesse pelo caso. Muitas redações de matutinos bloquearam divulgação sobre as ações da Comissão de Direitos Humanos por que o seu Presidente Domingos Dutra é declarado contrário a oligarquia Sarney.

Senador, mostre que este ato é sincero, liberando
os que são presos ao Sr. para divulgarem  e 
investigarem sem medo das ligações que possam
ser descobertas. Libera sua imprensa para que
divulgue os fatos sem distorções. Autorize a CPI
para que acabemos com a pistolagem no Maranão.
O que teme o nobre Senador e sua Família? 
Tenho dito e volto a afirmar a maioria absoluta dos que fazem a imprensa no Maranhão estão presos aos interesses da família Sarney. Uns por razões políticas, outras por receberem propina.

Se não são alguns blogs, o assassinato de Décio Sá já tinha caído no esquecimento.

Se os assassinos de Décio sá fossem pês de chinelos, teriam sido presos no mesmo dia e utilizados como troféus do Sistema de Segurança do Maranhão.

A ligação dos assassinos com gente grande pode ser a razão da demora em tudo que envolve as investigações.

Enquanto as autoridades do Estado impedem investigações (o exemplo é a CPI que foi impedida por Roseana Sarney), as pistolagem no Maranhão está em pleno vigor, ora tombando cidadãos deste torrão, ora os ameaçando.

Representantes destas bandalheiras já me disseram em tom de ameaça: “Você utiliza uma linguagem muito incisiva”.

Estou exercendo cidadania. Só isto.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Mais de R$ 330 mil em espécie
 também foram apreendidos
A FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS PELO BABÃO E ANTONIO CACHORRO EM PAÇO DO LUMIAR É FICHINHA SE COMPARADA COM AS FALSIFICAÇÕES DA BIA E SEU GRUPO NA PREFEITURA E NA CÂMARA DE VEREADORES.

Se o novo Superintende da PF quer realmente mostrar para que veio é melhor dá uma passadinha na prefeitura de Paço do Lumiar, ai ele vai ver o que é falsificação de documentos pra valer. Ontem mesmo ele recebeu mais uma das dezenas denúncias já feitas todas com provas para a PF e o MPF não ter trabalho de investigar. 


As provas   foram estas: o Convênio, a rubrica e assinatura verdadeira, os despachos de Thiago Aroso e o repasse do dinheiro.

Em matéria de apurar e agir a Promotoria de Paço do Lumiar é campeã. Já o MPF e a Justiça Federal do Maranhão tá devagar quase parando, pois há mais de ano o MPF recebeu provas de desvios de mais de 16 milhões dos cofres da Prefeitura de Paço do Lumiar, de recursos repassados pelo Governo Federal  e até agora não tem nenhuma resposta. 

Esta acontecendo algo de muito estranho, ou o MPF do Maranhão não está se entendendo com a PF neste caso absurdo de Paço do Lumiar. Só o MPE fez 9 ações por improbidade administrativa e o MPF nada que se tenha conhecimento.

O Movimento S.O.S PAÇO DO LUMIAR estará na próxima semana buscando uma explicação desses dois órgãos para essa lentidão.