quinta-feira, 14 de março de 2019

Toffoli reage e manda apurar 'notícias fraudulentas' que ofendam ministros do STF e o Ministro da Justiça quando vai fazer o mesmo?

Presidente do Supremo determinou nesta quinta-feira (14) abertura de inquérito para apurar 'notícias fraudulentas, denunciações caluniosas, ameaças e infrações' que atinjam o STF, seus ministros e familiares.

E o Ministro da Justiça quando é que vai fazer o mesmo para fazer respeitar a Presidência da República? 

A toda hora o presidente da República é acusado diretamente de assassinatos, assaltos; acusado de ser miliciano e de praticar outros crimes horrendos que repugnam a sociedade. Nos intervalos dessas acusações os criminosos da esquerda manda o presidente da república tomar no ânus, numa injúria sem tamanho e num dano moral irreparável à instituição Presidência da República.

Quando o artigo 142 da Constituição Federal e a LEI Nº 7.170/83 serão aplicados para resguardo da ordem política e social no Brasil?

Corte de bilhões de reais usados para comprar a grande mídia é a razão do ódio ao Bolsonaro

quarta-feira, 13 de março de 2019

A pé Dutra derrota Aliens no TRE

Alien (parasita) esse tipo foi identificado pela PF em Paço do Lumiar em 2012 - realizando a ‘Operação Alien’ para desarticular a quadrilha formada pelos Arosos e Campos - a Câmara e a Prefeitura eram seus casulos.

Nas eleições de 2016 esses Aliens tentaram voltar. Durante a campanha eleitoral, Gilberto Aroso, associado com Bia Aroso, Alderico e Fred Campos articularam para tentar tirar o mandato de Dutra no TRE, acusando-o de abuso de poder econômico e político, mas foram derrotados. 

Fazendo campanha a pé, Dutra derrotou nas urnas e no TRE o Prefeito Josemar; quatro ex-prefeitos (Mábenes, Raimundo Filho, Bia Aroso e Giberto Aroso); também derrotou Alderico e Fred Campos que davam suporte a Gilberto Aroso, que fez uma campanha milionária, financiada pelos irmãos Campos, com advogados e tudo.

Gilberto Aroso, adubado pelos Campos continuou as manobras para cassar o mandato de Dutra. Após as eleições de 2018, Arosos e Campos movimentaram um recurso junto ao TRE e alardeavam que Dutra seria cassado e que novas eleições seriam realizadas. Nesse ínterim Fred Campos começou a fazer campanha nas redes sociais, financiando batizados, casamentos, missas, cultos e até briga de galo. O maquiavélico Fred Campos dizia que tinha o apoio dos Deputados Federais Edilazio, Maranhãozinho, Cleber Verde e do Senador Weverton.

No julgamento, a Corte Eleitoral acompanhou o voto do Relator Eduardo Moreira e deu a primeira peia de 7X0 nos Arosos e Campos. 

Após esta derrota Fred Campos comprou uma Bíblia e espalhou em Paço que havia se convertido, sem revelar em que igreja e tome campanha antecipada. Ao mesmo tempo, articulava para tomar o mandato de Dutra com um novo recurso junto ao TRE.

Na Sessão desta terça-feira (12), a Corte Eleitoral apreciou o recurso apresentado pelos Aliens de Paço do Lumiar e, novamente por 7X0, os juízes eleitorais acompanharam o voto do relator Eduardo Moreira, rejeitando o recurso apresentado pelo Giberto Aroso e Fred Campos.

Nos bastidores da política de Paço especulam se agora Fred Campos vai jogar a Bíblia fora e procurar Bita do Barão, na esperança de derrotar Dutra nas eleições de 2020.

DUTRA QUER QUE GILBERTO AROSO E SEUS ASSOCIADOS DEVOLVAM R$ 5.635.900,00 QUE DESVIARAM DA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA DE PAÇO - Processo n° 0801564-82.2017.8.10.0049
Enquanto isso, Gilberto Aroso vai ter de devolver para Dutra R$ 5.635.900,00 (cinco milhões, seiscentos e trinta e cinco mil, novecentos reais) destinados pelo Ministério das Cidades para pavimentação de vias públicas do Município de Paço do Lumiar e desviados pelos Arosos e seus associados.

A juíza Lewman de Moura Silva, da 1ª Vara do Termo Judiciário de Paço do Lumiar, determinou o bloqueio de bens e da  quantia nas contas de Gilberto Aroso e dos seus comparsas, através dos bancos e dos Cartórios de Registro de Imóveis de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar.

Dutra precisa dos recursos para socorrer as comunidades que tiveram suas pavimentações destruídas pelas chuvas.

O LADO DELES

segunda-feira, 11 de março de 2019

O presidente do TJMA repudia denúncias sem provas de representante do SAMA

NOTA DE REPÚDIO

O Poder Judiciário do Maranhão – que tem entre suas finalidades constitucionais a defesa e o respeito aos valores jurídicos e às instituições – vem a público manifestar repúdio à postura inadequada do Presidente do Sindicato dos Advogados do Maranhão, que, mais vez, valendo-se da mentira e da infâmia, tenta atingir irresponsavelmente a imagem do Tribunal de Justiça do Maranhão.
modus operandi do causídico novamente se repete. Movido pela má-fé explícita, tenta incutir, junto à opinião pública, informação leviana e sem cabimento, com o objetivo de trazer para si, a todo custo, a luz dos holofotes da mídia, com interesses políticos inconfessáveis.
Verdade seja dita, as acusações levianas do causídico se mostram totalmente infundadas. Carentes de provas, elas evidenciam a conduta desviante e o comportamento reprovável do Presidente do Sindicato dos Advogados que, pela mentira e a infâmia, responderá criminalmente perante a Justiça.
Diante da postura de quem não respeita as instituições, o caso em tela faz lembrar a singela sabedoria do Cancioneiro Popular: “Quem tem o mel, dá o mel; quem tem o fel, dá o fel; e quem nada tem, nada dá!”.
Essa força motriz de comportamentos, ao que parece, interfere em quem deveria adotar uma postura ética, honrando o Direito, a Advocacia e os princípios constitucionais, seja como cidadão, seja como profissional.
Convém ressaltar ainda que o Poder Judiciário do Maranhão não se manifestará mais sobre o assunto nos meios de comunicação, deixando nas mãos da Justiça a decisão a ser tomada diante de acusações que não têm fundamento e nem razão de ser.

José Joaquim Figueiredo dos Anjos
Presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão

sábado, 9 de março de 2019

A triste realidade de Paço do Lumiar e os culpados da situação

O blog do competente jornalista Jorge Aragão publicou a postagem "A triste realidade de Paço do Lumiar". Triste mesmo!!

O blog tem mantido a postura de ficar do lado da verdade, e sabedor do porque Paço do Lumiar está nessa situação, resolvemos nos manifestar.

No início de 2013, após uma operação da PF, este blog divulgou que Paço do Lumiar estava inviabilizada por 8 anos. Uma quadrilha que se instalou no município, desarticulada pela Polícia Federal na ‘Operação Parasitas’ ou ‘Operação Alien’ foi quem deixou Paço do Lumiar uma terra arrasada com péssima infraestrutura.

Ao assumir a Prefeitura naquele ano, o prefeito Josemar Sobreiro a encontrou totalmente inadimplente, em execução fiscal e impedida de receber recursos federais. Conseguiu na Justiça um crédito temporário para a Prefeitura somente até 2015. Os culpados por essa situação tem nome e endereço.

Na gestão de Bia Aroso, associada com Alderico Campos, recursos federais foram desviados sem pena e nem dó dos luminenses. Na gestão deles, os dados do PREVPAÇO foram falsificados  para obterem Certificado de Regularidade Fiscal – CRP e receberem mais recursos federais. Depois o crime foi descoberto em Auditoria do Ministério da Previdência.

As irregularidades praticados por eles inviabilizaram avanços na gestão do prof. Josemar, que repassou a prefeitura para Dutra com Certificado de Regularidade Fiscal atrasado. Ou seja, as irregularidades passadas refletem na gestão do atual prefeito. Paço do Lumiar se tornou município ficha suja desde da gestão de Gilberto Aroso.

Até 2017 o prefeito Dutra estava lutando na Justiça Federal para suspender registros de inadimplência de Paço do Lumiar no SIAFI/CAUC, em razão da falta de Publicação do Relatório de Gestão Fiscal e Publicação do Relatório Resumido de Execução Orçamentária dos gestores anteriores. Até os repasses do FPM estavam ameaçados de serem bloqueados.

Atualmente, a gestão de Domingos Dutra está impedida de obter o Certificado de Regularidade Fiscal – CRP, necessário para receber recursos federais para o município.


Portanto, o prefeito de Paço do Lumiar está:

1 – Impedido de receber transferências voluntárias de recursos pela União;
2 – Impedido de celebrar acordos, contratos, convênios ou ajustes, bem como de empréstimos, financiamentos;
3 – Impedido de obter recursos de empréstimos e financiamentos por instituições financeiras federais.

Essa é a  triste realidade de Paço do Lumiar.