Todo o poder emana do povo

Acessos

domingo, 27 de dezembro de 2020

Os vídeos que causaram uma escalada de perseguição aos conservadores e militantes de direita e devassa em seus lares, contas, celulares e monitoramentos 24 horas

Senado aprova invasão estrangeira no Brasil

Trata-se do Projeto de Lei n° 2.963/2019, de autoria do senador Irajá Silvestre Filho, do PSD-TO. O Projeto de Lei permite a aquisição, posse e o cadastro de propriedade rural por pessoa ou empresa estrangeira. Foi aprovado na Sessão Deliberativa Extraordinária Semipresencial realizada no dia 15/12/2020.

Imagine só - um país como o Brasil que não consegue resolver os enormes problemas de regularização fundiária e a corrupção cartorária que navega ilesa nos rincões do País, como vai agora permitir uma verdadeira invasão estrangeira em nossas terras. Gente com dinheiro para molhar as mãos das já costumeiras e propineiras autoridades brasileiras, não demorará muito para tomarem de conta das propriedades dos brasileiros. Emendas apresentadas ao projeto para impedir a obtenção de maneira indiscriminada, foram rejeitadas pelos senadores interessados na causa.

Votaram contrários ao Projeto somente os senadores Zenaide Maia, Leila Barros, Rose de Freitas, Eduardo Girão, Randolfe Rodrigues, Paulo Paim, Jorge Kajuru e Styvenson Valentim.

O presidente já avisou que vetará o projeto. Mas, com o Congresso e o STF como inimigos declarados - o coitado não terá a menor chance de prevalecer seu veto.

Não está adiantando nem mesmo a pressão popular pela internet, pois 6.585 cidadãos e cidadãs recomendaram a NÃO APROVAÇÃO e somente 131 foram favoráveis. Mesmo assim a maioria dos descompromissados senadores da República não estão nem aí para a opinião do Povo.

Daí a necessidade do uso da força do povo fisicamente para eles respeitarem o seu Poder.

sábado, 26 de dezembro de 2020

EXCLUSIVO!!!! ACUSAÇÃO PÚBLICA: O DOI-CODI – SUPREMO é conivência do Governo Federal, de seus agentes; da Câmara dos Deputados e do Senado

Publicamente O Blog acusa o Governo Federal e seus agentes; a Câmara dos Deputados e o Senado por conivência pelo atentado à Democracia perpetrado por membros do STF contra cidadãos da República por meio do DOI-CODI – SUPREMO. 

Em 14 de março de 2019, por conta de severas críticas de cidadãos a comportamentos imparciais e políticos de ministros do STF, o presidente da Corte em articulações internas e com base em denúncias falsas de inimigos políticos dos acusados emitiu a Portaria nº 69/2019 ao argumento de apuração de supostas injurias e difamações que estariam atingindo a honorabilidade de segurança do STF, de seus membros e familiares. 

Foi designado então o INQUIRIDOR, o JULGADOR e o EXECUTOR daqueles que entendesse culpados. O desenganado para essa tripla função foi o ministro Alexandre de Moraes, que instaurou o INQUÉRITO Nº 4781 - lhe deu teor secreto, criando um Centro de Operações de Defesa Interna do STF (DOI-CODI - SUPREMO) para praticar ações de repressão a indivíduos ou a jornalistas, utilizando-se da PF, sob a acusação dissimulada de que os perseguidos fazerem parte de uma organização criminosa de extrema direita estruturada para destruir o STF, matar ministros e seus familiares. 

Ao ser informada pela imprensa da existência do Inquérito Sigiloso 4781 para perseguir cidadãos da República que criticam os maus comportamentos de ministros do STF, a então Procuradora-geral da República, Raquel Dodge (chefe do Ministério Público Federal - MPF) encaminhou expediente ao STF pontuando graves consequências retratadas no Inquérito Sigiloso 4781, que passamos a dominar de DOI-CODI - SUPREMO. 

Passados 30 dias sem envio dos autos ao MPF, como determina a própria lei processual penal, a Procuradora-geral da República, em 16 de abril de 2019, comunicou ao INQUIRIDOR, JULGADOR e EXECUTOR Alexandre de Moraes, que o titular da ação penal contra ministros do STF, se houver, é o Ministério Público Federal com base no que determina a Constituição Federal (artigo 5º, LIII e artigos 46 e 129 da CF). 

A Procuradora-geral da República promoveu então o arquivamento do Inquérito Sigiloso 4781 para perseguir críticos do STF. Para isto a procuradora citou a própria jurisprudência do STF registrada na PET 2509/MG. 

Houve uma ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL, a ADPF 572, onde o Partido Rede Sustentabilidade sustentou a ilegalidade do “DOI-CODI – SUPREMO” e dizendo que não há crimes contra a honra da Pessoa Jurídica STF, e, no caso dos ministros, a investigação estaria condicionada à representação dos mesmo, conforme jurisprudência do próprio STF; que o Inquérito Sigiloso 4781 careceria de justa causa, não havendo referência a fatos concretos ou delimitação mínima do objeto, ofendendo o princípio da legalidade estrita, também preceito fundamental. E não foi livremente distribuído, reforçando a hipótese de Tribunal de Exceção, vedada pelo art. 5º, XXXVII, da CRFB, prejudicando a imparcialidade. 

O Advogado-Geral da União, representando o governo foi a favor da ilegalidade. Em quem o então Presidente do STF, Min. Dias Toffoli pegou carona para reafirmar seu ato. Depois foi só os ministros combinarem seus votos em julgamento para dar ar de legalidade a trama de para perseguir cidadãos da República que criticam os maus comportamentos de ministros do STF. 

E dessa forma os ministros do STF pousando como vítimas julgaram como legal o ato de perseguição aos seus acusados. Ou seja, as vítimas sendo inquiridoras, julgadoras e executoras das da sentença dos seus acusados. 

Enquanto não chega o desfecho final, o Inquérito Sigiloso 4781 para perseguir cidadãos da República que criticam os maus comportamentos de ministros do STF continua apontando e prendendo seus alvos. 

SEM AMPLA DEFESA 

Os advogados dos acusados não têm acesso ao conteúdo do Inquérito Sigiloso 4781 do DOI-CODI – SUPREMO. Permite apenas pedaços do inquérito para os advogados não poderem ter uma conclusão de defesa. Com isso o INQUIRIDOR, o JULGADOR e o EXECUTOR Alexandre de Moraes mantêm a perseguição a seus alvos. 

SEM LIBERDADE 

A relatora que recebe todos os pedidos de Habeas Corpus no STF e a ministra Carmem Lúcia e ela já definiu sua vingança maligna: “Não cabe Habeas Corpus contra ato de ministros do STF” e ponto final. Basta dar uma olhada AQUI

MAS QUEM É ESSA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA CRIADA NA NARRATIVA DO STF PARA JUSTIFICAR PERSEGUIÇÃO A SEUS CRÍTICOS? 

Segundo os agentes do DOI-CODI – SUPREMO, a perigosa organização que ameaça a segurança de ministros e familiares, é composta pelos por ALLAN LOPES DOS SANTOS, BERNARDO PIRES KUSTER, EDSON PIRES SALOMÃO, EDUARDO FABRIS PORTELLA, ENZO LEONARDO SUZI MOMENTI, MARCELO STACHIN, MARCOS DOMINGUEZ BELLIZIA, RAFAEL MORENO, PAULO GONÇALVES BEZERRA, RODRIGO BARBOSA RIBEIRO e SARA FERNANDA GIROMINI. 

Tal perigosa organização criminosa comparada por inferência à terroristas pelo DOI-CODI – SUPREMO, seria financiada pelos poderosos empresários brasileiros EDGARD GOMES, MARCOS DOMINGUEZ BELLIZIA), RAFAEL MORENO, PAULO GONÇALVES BEZERRA, RODRIGO BARBOSA RIBEIRO e SARA FERNANDA GIROMINI, CORONA, LUCIANO HANG, OTAVIO OSCAR FAKHOURY, REYNALDO BIANCHI JUNIOR e WINSTON RODRIGUES. 

Também seriam integrantes da organização criminosa Matheus Sales, Mateus Matos Diniz e Tercio Arnaud Tomaz, todos assessores especiais da Presidência da República, que agiriam chamado “Gabinete do Ódio”, que se especializou em produzir e distribuir Fake News contra diversas autoridades, personalidades e até integrantes do Supremo Tribunal Federal. 

CONFIRA VOCE MESMO O QUE DIZ o INQUIRIDOR, o JULGADOR e o EXECUTOR Alexandre de Moraes – AQUI

A consolidação e continuidade desse absurdo atentando do STF contra a Democracia Brasileira é culpa do governo Federal e seus agentes; da Câmara dos Deputados e o Senado por conivência institucional.

Os acusados são apenas críticos do o STF se transformou - num tribunal de interferências política e guardião de interesses obscuros perceptíveis a partir de suas vergonhosas decisões - perdendo sua alegada honorabilidade (respeitabilidade).

Abaixo os esquemas bolados pelo DOI-CODI – SUPREMO na tentativa de criar uma narrativa que esses internautas seriam uma organização criminosa planejando exterminar ministros e seus familiares. São apenas internautas ou jornalistas emitindo críticas e comentários a cerca da política e comportamento das instituições brasileiras e seus agentes.       



quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

NOSSO DESEJO DE UM FELIZ NATAL - Romanos 12:9-21

Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito.

Sirvam o Senhor com o coração cheio de fervor. Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres;

Aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre. Repartam com os irmãos necessitados o que vocês têm e recebam e sejam hospitaleiros.

Peçam que Deus abençoe os que perseguem vocês. Sim, peçam que ele abençoe e não que amaldiçoe. 

Alegrem-se com os que se alegram e chorem com os que choram. Tenham por todos o mesmo cuidado. Não sejam orgulhosos, mas aceitem serviços humildes. Que nenhum de vocês fique pensando que é sábio!

Não paguem a ninguém o mal com o mal. Procurem agir de tal maneira que vocês recebam a aprovação dos outros. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas.

Meus queridos irmãos, nunca se vinguem de ninguém; pelo contrário, deixem que seja Deus quem dê o castigo. Pois as Escrituras Sagradas dizem: “Eu me vingarei, eu acertarei contas com eles, diz o Senhor.” Mas façam como dizem as Escrituras: “Se o seu inimigo estiver com fome, dê comida a ele; se estiver com sede, dê água. 

Porque assim você o fará queimar de remorso e vergonha.” Não deixem que o mal vença vocês, mas vençam o mal com o bem.

Feliz Natal e um 2021 de paz - o resto serão as lutas de cada dia!

Prefeito eleito de S.J de Ribamar concede entrevista

Após uma eleição de muitos adversários de dentro e fora do Município de São José de Ribamar, o prefeito eleito Dr. Julinho, recebeu em sua residência a equipe deste blog para uma entrevista. 


EDGAR RIBEIRO – Mesmo antes da campanha as pesquisas internas e externas de seus adversários colocavam o Senhor à frente dos demais. A que o Sr. Atribui essa preferência dos ribamarenses? 


DR. JULINHO – Tem a ver em primeiro lugar com a confiança dos cidadãos e cidadãs ribamarenses a nossa pessoa – tivemos ao longo da nossa vida atenção voltada para este povo; em segundo lugar o povo viu o descompromisso dos atuais gestores com o desenvolvimento de nosso município e com as causas sociais. 


EDGAR RIBEIRO Nestas eleições, como o Sr. conseguiu juntar forças políticas diante das incertezas de sua elegibilidade e ataques dos adversários? 


DR. JULINHO – Nossa candidatura representou a opção de mudança para São José de Ribamar, era o desejo da população, que confirmou o candidato que queria. Durante a campanha contamos acima de tudo com Deus e com a ajuda de pessoas simples do povo ribamarense e algumas forças políticas que acreditaram em nossas propostas. 


EDGAR RIBEIRO – Que articulações serão feitas para o Sr. Viabilizar suas propostas e projetos? 


DR. JULINHO  É preciso lembrar que São José de Ribamar é o terceiro município mais populoso do Estado do Maranhão, e sendo um dos quatro que integram a Região Metropolitana de São Luís, tem que ocupar e assumir seu lugar de importância - é o que faremos até o último minuto de nosso mandato. Buscaremos o apoio do legislativo municipal e da população, fazendo uma política voltada para concretização de nossas propostas e projetos, que serão executados com transparência. 


EDGAR RIBEIRO – Como o Sr. vai se relacionar com a oposição? 


DR. JULINHO – Concebo oposição como alguma divergência de ideias, mas nunca como algo que possa prejudicar a coletividade. Nesse sentido, o diálogo é o caminho para o entendimento. Gosto de tratar as coisas com clareza. Estou legitimado para executar um projeto que foi aprovado pela população e pelas lideranças políticas que a nós se juntaram. Então de mãos dadas, faremos o que foi proposto, dialogando com o legislativo municipal, bem como buscando ajuda junto ao Executivo estadual e apoio de deputados estaduais e federais; da mesma forma com a população e com as entidades da sociedade civil organizada. Pois, Na gestão pública todos com iguais propósitos devem ser considerados. O vereador eleito ou o não eleito, o cidadão ou a cidadã, o sindicato ou a entidade que desejam o desenvolvimento de São José de Ribamar sintam-se convidados a se engajarem nesta luta. Já estamos fazendo um raio X da real situação do Município para os passos iniciais. 


EDGAR RIBEIRO – Qual será o perfil do seu secretariado, técnico ou político? 


DR. JULINHO – Teremos o perfil de pessoas compromissadas com nosso projeto. Havendo verdadeiro compromisso, questões técnicas ou políticas são resolvidas dentro do processo de gestão. 


EDGAR RIBEIRO – Uma palavra final. 


DR. JULINHO – Pretendemos deixar um legado para nossa história, nossa cultura e tradição. Aqui nasci, me tornei médico e acompanhei cada momento dessa gente. Com ajuda de Deus e dos ribamarenses, haveremos de alcançar conquistas e colocar São José de Ribamar na posição que merece. Quero agradecer a todos que depositaram sua confiança em nosso nome e desejar a todos ribamarenses Feliz Natal e um 2021de paz e prosperidade. Muito obrigado!! 

Prefeito Dr. Julinho

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Por que Fernando é o melhor nome para Câmara Municipal de Paço do Lumiar?

Aos vereadores, cabe o papel de cumprir com excelência as funções legislativa de representação do povo, principalmente as funções de legislar (criar projetos, que podem virar leis; aprovar propostas que nascem do Poder Executivo; entre outras atividades), fiscalizar (principalmente as ações e obras do Poder Executivo), administrar e julgar. Os parlamentares também desenvolvem ações, como reuniões, audiências e avaliação de propostas, por meio das comissões parlamentares. Contudo, tais funções importantes que compõe a rotina de trabalho do vereador e da Câmara Legislativa ainda são desconhecidas por boa parte da população.

Para mudar esta realidade, Fernando Muniz empreendeu uma gestão voltada para diretrizes e estratégias de gestão tendo como foco principal a transparência das ações da Câmara e a prioridades de discursão, aprovação ou não de projetos do executivo. 

Se não fosse impedido pelas circunstancias da pandemia, Fernando Muniz teria implantado o seu projeto Câmara Itinerante, que consiste em ampliar a sintonia da agenda do Legislativo com os anseios da comunidade e entendimentos com o Executivo. 

Na verdade a ideia de Fernando Muniz extraída de seu projeto de gestão buscar aprimorar a qualidade Legislativa - melhorar a qualidade das leis ouvindo o executivo e a população, bem como aprimorar a avaliação e a fiscalização das políticas públicas e das ações do Município - resultando daí na  fomentação de uma cidadania ativa por parte dos luminenses.   

Outro avanço implementado por Fernando Muniz  foi dar celeridades aos projetos do executivo enviados à Câmara e o informativo da Câmara, pelo qual as ações de cada parlamentar é destacada para a população. 
Vereador Fernando Muniz - sua gestão com transparência foi reconhecida até pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão. 

A SENHA DE BOLSONARO PARA O POVO