AQUI É O PORTAL DAS ELEIÇÕES 2020

Acessos

segunda-feira, 23 de março de 2020

PIOR QUE O COVID-19: Passado o perigo da pandemia o povo de bem do Brasil e o governo federal deverão responder à altura os ataques terroristas executados em plena crise

O blog tem informações de que passado o perigo da pandemia, as ruas do Brasil se transformarão em campo de guerra, em resposta aos ataques terrorista-virtual para derrubar a administração federal.

Governadores, principalmente do Nordeste, Têm patrocinado esses ataques por seus comparsas mantidos nas folhas de pagamento dos Estados. Recentemente descobriu-se uma jornalista famosa recebendo de um governador para tocar o terror contra o governo federal. 

O que se infere de tudo isso, é que as a inteligência das Forças Armadas e estão colhendo elementos de provas dos ataques para quando agir não vir 'coitadinhos' dizendo-se vítima da ditadura. As autoridades da repúblicas têm colhido diversas provas de crimes contra a Segurança Nacional, cuja Lei está em Vigor.

Se alguém acha que o que a Esquerda está fazendo não é terrorismo - vou desenhar ✍ para vocês:

A Organização das Nações Unidas define terrorismo da seguinte forma:

“Atos criminosos pretendidos ou calculados para provocar um estado de terror no público em geral […]“ (Resolução 49/60 da Assembleia Geral).

De acordo com a definição da ONU, o que realmente importa aos terroristas é aterrorizar o resto da sociedade, movimentando a imprensa, as redes sociais e os órgãos governamentais. No Brasil até a grande imprensa está sendo braço dos terroristas virtuais.

De maneira semelhante, os EUA também traz uma definição explícita do que seria o terrorismo: 

“[…] violência premeditada e politicamente motivada, perpetrada contra alvos não-combatentes e praticada por grupos ou agentes clandestinos, normalmente com a intenção de influenciar um público”. 

Ou seja, os ataques terroristas teriam alguns fatores em comum, que seriam:

1 - Premeditação: sempre são planejados previamente pelos seus perpetradores - No caso do Brasil até cidadãos comuns já perceberam quem está por traz dos ataques.

2 - Fim político: o grupo pretende causar algum efeito na esfera política, como motivar governantes a fazer ou deixar de fazer alguma coisa: No caso do Brasil estão aproveitando a pandemia para perpetrarem seus interesses políticos e ideológicos.

Checa só como articularam para iniciar seus ataques: 
Usando os próprios recursos repassados pelo governo federal, muitos governadores baixou medidas orientadas pelo governo federal, mais em seguida atribuíram a si tais iniciativas e mandaram divulgar que o governo federal nada estava fazendo. Também articularam que as informações do governo federal fossem tratadas como notícias falsas. Quando o presidente Jair Bolsonaro reage aos seus ataques eles intensificam o terror e seus comparsas atacam a dignidade do presidente, dizendo até que a autoridade maior do País é doente mental. Mesmo assim, o presidente não faz uso da Lei de segurança Nacional por conta do momento.
4 - Vítimas são civis: atos terroristas não acontecem em um campo de batalha, onde o conflito e a violência já são esperados. No caso do Brasil, os ataques estão sendo feitos pelas redes sociais e pelos telejornais que têm concessão pública.

5 - Grupos são clandestinos: os grupos políticos que realizam ataques terroristas existem sem reconhecimento e respaldo legal: No caso do Brasil, alguns grupos da esquerda nem faz mais segredo já estão agindo sem máscara apostando na impunidade que o povo de bem dará. 

6 - Objetivo é obter audiência: o ato terrorista serve tanto para aterrorizar a população, quanto para convencer outras a aderir às causas do grupo (o Estado Islâmico, por exemplo, tem conquistado novos adeptos ao longo do tempo, até mesmo em países ocidentais). No caso do Brasil é para o PT, PC do B, PSOL e outros comparsas deles obterem audiência que fora perdida em 2018, com a eleição 🗳 de um presidente que está combatendo a corrupção e cortou as propinas de todo mundo. 

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é bem vindo
Opine, comente, debata ...