TODO PODER EMANA DO POVO

Acessos

Mostrando postagens com marcador Roberto Jefferson. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Roberto Jefferson. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

EXCLUSIVO!! Blog revela a associação do ódio incumbida de eliminar o presidente do PTB Roberto Jefferson e críticos da direita.

Alexandre de Moraes, do STF, não é o único algoz de Roberto Jefferson, do Presidente da República e de seus apoiadores. Ele age a pedido e ao atender os pedidos, aproveita para imprimir seu ódio, ideologia e narrativas.

Não acusem só o Moraes. Os inimigos formaram uma organização para eliminar o que eles consideram empecilhos a seus interesses escusos. Suas ações não ficam só no discursão. Agem articulados, com toda força e utilizam as parcerias institucionais para eliminar qualquer um.

Enquanto grupos de direita ficam no discurso de protestos e críticas nas redes sociais, a organização da extrema esquerda trabalha é para calar para sempre quem eles conseguem pegar. Para isto utilizam a estrutura que aparelharam no Judiciário, no Legislativo e até no Executivo, onde elementos estão a seus comandos 24 horas por dia. É de lá que eles obtém autorização para continuarem com suas narrativas e calando opositores.

Os inquérito e processos instaurados para nas instituições do judiciários para perseguir e intimidar cidadãos que são críticos são exemplos de serviços executados por esse elementos comandado pelos chefões da extrema esquerda.

O exemplo claro dessa organização do ódio é o caso do Presidente do PTB, Roberto Jefferson - cidadão que resolver encarar esse sistema, mais antes que ele revelasse mais coisas procuraram calá-lo para sempre, ou seja estão botando para eliminá-lo e parece que vão conseguir. Percebe-se que ele tem poucos dias - não aguentará a tortura psicológica e pressão dessa organização da extrema esquerda.

A organização da escalada do ódio tem nome e endereço: Alencar Santana Braga, Afonso Bandeira Florence, Célio Alves de Moura, Ênio José Verri, Francisco de Assis Carvalho Gonçalves, Gleisi Helena Hoffmann, Henrique Fontana Júnior, João Carlos Siqueira, João Somariva Daniel, Jorge José Santos Pereira Solla, José Airton Felix Cirilo da Silva, José Cerqueira de Santana Neto, José Nobre Guimarães, Luizianne de Oliveira Lins, Maria Margarida Martins Salomão, Nilto Ignacio Tatto, Paulo Fernando dos Santos, Paulo Roberto Severo Pimenta, Rogério Correia de Moura Baptista, Rosa Neide Sande de Almeida e Rui Falcão.

PARA CALAR ROBERTO JEFFERSON OLHA O QUE ELES FIZERAM OFICIALMENTE. FORA AS ORIENTAÇÕES E ARMAÇÕES DE BASTIDORES.

Em articulação associada, utilizaram o protocolo do STF para, como Hamã (Livro de Ester - na Bíblia), que alimentava um desejo de eliminar os judeus que haviam ficado cativos na Babilônia.

Assim, para calar e eliminar Roberto Jefferson da política e impedir suas críticas apresentaram acusações recheadas de mentiras e calúnias, protocoladas no STF sob o registro PET nº 8.849. Neste documento eles apresentas suas narrativas:

(a) Que ROBERTO JEFFERSON vem divulgando apoio ao Senhor Presidente da República, em acordo político do partido que preside visando a governabilidade do país, com a participação efetiva daquela agremiação no governo mediante a nomeação de filiados em cargos públicos estratégicos;

(b) Que ROBERTO JEFFERSON divulgou em sua conta na rede social Twitter imagens e frases que extrapolam em grande medida o direito à livre manifestação do pensamento, atacando e ameaçando frontalmente o Estado Democrático de Direito, essa Corte, a liberdade de imprensa, além de incitar a violência e acirrar ainda mais o clima de alta polarização que domina o país;

(c) Que ROBERTO JEFFERSON diz estar preparado para combater a ditadura, o comunismo, a tirania, citando o slogan de campanha eleitoral do atual presidente;

(d) Que ROBERTO JEFFERSON aparece em fotografia portanto um fuzil, arma de grosso calibre de uso restrito das forças armada;

(e) Que ROBERTO JEFFERSON sugeriu ao Presidente da República que “demita” os onze ministros dessa Corte e casse arbitrariamente concessões de rádio e TV de empresa de comunicação considerada inimiga do governo, medidas ilegais e totalmente contrárias à Constituição Federal;

(f) Que ROBERTO JEFFERSON pode ter havido violação ao disposto no § 4º do art. 17 da Constituição Federal em que é vedada a utilização pelos partidos políticos de organização paramilitar;

(g) Que ROBERTO JEFFERSON pode ter possível participação em atos de ataque à democracia, e que praticou em tese o crime definido no art. 16 do Estatuto do Desarmamento.

Esses pedidos deveriam fazer parte do Inquérito 4.828, aberto no STF para intimidar pessoas que criticam elementos da corte. A PGR pediu para o ávido Moraes arquivar esse processo de intimidação de críticos , sendo ele obrigado a revogar as prisões ilegais de Sara Giromini (Sara Winter), Renan de Morais Souza, Érica Viana de Souza, Emerson Rui Barros dos Santos, Oswaldo Eustáquio Filho e Arthur Castro e Daniel Miguel.

Tomado pela determinação de perseguir e intimidar críticos, elemento do STF mandou novo Inquérito 4.781 e copia as coisas do arquivado para este. A perseguição e intimidação tinham que continuar.

E assim vai operando essa organização da extrema direita, utilizando os elementos que utilizaram para aparelha o STF com suas ideologias e narrativas. É a opinião e avaliação deste humilde cidadão como do povo.

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

PREPAREM-SE PARA O PIOR: STF eleva a sua jactância e já age à revelia da Procuradoria-Geral da República (PGR) para perseguir e prender


Desta vez o alvo de vingança e perseguição foi o presidente do PTB, ex-deputado Roberto Jefferson, que teve prisão preventiva decretada pelo Xerife do STF, Alexandre de Moraes.

De acordo com Alexandre de Moraes, o motivo da prisão seria porque o ex-deputado tem se manifestado, reiteradamente, por meio de postagens em redes sociais e em entrevistas concedidas, atacando integrantes de instituições públicas, desacreditando o processo eleitoral brasileiro, reforçando o discurso de polarização e de ódio; e gerando animosidade na sociedade brasileira, promovendo o descrédito dos poderes da República.

Sobre os exdruxulos motivos para prender o deputado o vingador do Supremo escondeu o real motivo (motivo político).

Aqui vai a crítica contudente deste blog sobre os argumentos da prisao do deputado e algumas perguntas que não querem calar:

1º Os inquéritos aludidos na peça articulada estão aí sendo utilizados para perseguição política, pois sesu assuntos são sempre alegações de que "fulano e sicrano estão criticando as instituições"; "fulano e sicrano estão ameaçando o Estado Democrático de Direito"; "fulano e sicrano estão desacreditando o processo eleitoral"; "fulano e sicrano fazem parte de uma organição de uma organização que ameaça ministros do STF e suas famílias; "fulano e sicrano formaram uma milícia digital"; "fulano e sicrano são apoiadores de Bolsonaro". Todos esses assuntos são oriundos de críticas políticas em razão dos ministros do STF terem se tornado verdadeiros militantes políticos.

Perguntas:

- Por que Vocês do STF estão denominando de "organização criminosa que tenta desestabilizar as instituições republicanas", aqueles que não concordam e omitem opinião contra sesu movimentos nitidamente reveladores de golpe contra um presidente legitimamente eleito?

- Será que a denominação de organização criminosa não está invertida?

Por que não expede mandado de prisão também para o Presidente Jair Bolsonaro? Se ele tem mostrado quão desacreditado é processo eleitoral que vocês conduz. Prendam o presidente, então! pois também é um crítico ferrenho e com razão dos atos de vocês - esses sim, atentatórios à democracia e distruidores do Estado Democrático de Direito.

- Quem está promovendo o descrédito dos poderes da República? Senão vocês!

- Quem vem interferindo nas ações do governo federal para desenvolver o País? Quem?

- Para que serve a Procuradoria-Geral da República (PGR) no contexto de Vocês aí do STF? Se Vocês instauram inquéritos, investigam e julgam!

- Para que serve a Procuradoria-Geral da República (PGR), se é aí no STF o QG dos inimigos de Bolsonário protocolar denuncias de falsos Crimes contra o presidente da República. Aí é delegacia ou Ministério Público, por acasso?

Um ministro daí disse que fazem aí para repercutir mais.

Aí é um tribunal ou um partido político? Se for muda a placa - Porque o STF previsto na Constituição Federal não tem nada a ver que vocês estão fazendo.

- Cometem tantos abusos porque não se tem a quem recorrer quando voces perseguem alguem?

Aguardamos respostas sem arrudeios ou estórias de que "a tapioca comeu o beju".

A prisão do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) foi tomada à revelia da , que se manifestou de forma contrária à detenção do ex-parlamentar.

O posicionamento da PGR foi contrário à prisão de Jefferson. A subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, argumentou que o ex-deputado não tem foro por prerrogativa de função — o chamado foro privilegiado — e que o STF não era a instância adequada para a investigação.

Segundo A PGR, os fundamentos da prisão também não se justificavam, pois Jefferson não representaria ameaça às instituições democráticas, ao contrário do que avaliou o Xerife Moraes. Para a subprocuradora, os requisitos necessários para a prisão preventiva não estavam configurados.

Como um deus e determinado a perseguir o deputado de qualquer jeito, encaixou argumentos e mais argumentos para saciar sua jactância. Bastou alegar que o deputado por participa de grupos que atuam nas redes sociais supostamente para criticar as instituição democráticas.

Criticar as instituição democráticas é a maior garantia do Estado Democrátuico de Direito.

Se não pode mais criticar seja com que tom for, então estamos diante de um Estado de Exceção - merecendo a devida reação aos que, por subterfugios canalhas, usurpam do poder para garantir seus interesses escusos e lançar-se contra os que julgar um perigo para o que fazem.