Todo o poder emana do povo

Acessos

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

O JOGO BRUTO DE UM COMPLÔ!! A prisão do Presidente do Conselho Latino-americano de Jornalismo após ter pedido de socorro rejeitado por Ministra de Bolsonaro

Trata-se do jornalista premiado Osvaldo Eustáquio que denunciou UM COMPLÔ o presidente nacional do PSL e o STF que embarcou numa narrativa mentirosa para dar início sua sanha persecutória a jornalistas e ativistas de direita cumulada por outro interesse. 

Osvaldo Eustáquio revelou a trama de um complô de Luciana Bivar, presidente nacional do PSL e associados contra o presidente Jair Bolsonaro. 

A trama envolveu dois objetivos: derrubar Bolsonaro e afastar deputados bolsonaristas para ter o monopólio do partido e do fundo eleitoral de R$ 193 milhões, que seriam desviados nas eleições 2020. 

A primeira pessoa a saber deste caso foi a ativista Sara Winter, que recebeu uma ligação do deputado Nereu Crispim, utilizado como laranja por Bivar para levar informações falsas ao STF, que aproveitando da situação instaurou dois inquéritos secretos (sigilosos) e mandou fazer busca e apreensão na casa de dez deputados, dois senadores, dezenas de influenciadores digitais e empresários. 

Para calar as vozes que denunciavam a trama, o STF tratou de expedir prisões ilegais ao argumento de que jornalistas e algumas pessoas estavam ameaçando ministros e seus familiares. 

Bivar ainda tentou tramar a prisão de sua colega de parlamento, a deputada Bia Kicis. 

Osvaldo Eustáquio caiu em campo com seu jornalismo investigativo e conseguiu revelar a trama e desmascarar o STF. Percorreram cinco estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e revelaram o maior escândalo político de 2020, conforme consta do relato abaixo: 

Este Blog descobriu que as medidas do STF tinham outro alvo próximo dali – no TSE – os alvos na verdade eram Bolsonaro e Mourão. E o objetivo: Cassação de seus mandatos. 

Descobriu-se que 26.06.2020, após a abertura do Inquérito nº 4781 de conteúdo secreto, Alexandre de Moraes oficiou ao relator dos processos de cassação de Bolsonaro e Mourão para aguardar as novas informações que estavam arranjando com base na trama do Bivar. 
O esquema consiste em utilizar as provas do forjado inquérito do STF para operacionalizar a cassação de Jair Bolsonaro e Mourão, pois as investigações do TSE não obtiveram êxito para cassar Bolsonaro e Mourão. 

O plano B, então, foi montar a desesperada operação de invadir lares de apoiadores de Bolsonaro na tentativa de acharem alguma prova que ajude na cassação de seu mandato – fuçaram nos celulares, nos notebooks, nas gavetas, debaixo de camas, nos quintais, nos telhados e nas redes socias dos apoiadores de Bolsonaro e não encontram nada pertinente aos processos no TSE. 

Para disfarçar os membros do STF estão fazendo essa grande dissimulação de fake News dizendo que o STF está se protegendo contra uma grande organização patrocinada para exterminar os ministros e seus familiares – enquanto na verdade os alvos são Bolsonaro e Mourão. 

Enquanto isto, Osvaldo Eustáquio e outros que denunciaram o complô de golpe contra um governo eleito, são ignorados por Bolsonaro e seus ministros. Nem mesmo a Ministra de Direitos quis ouvir o pedido de socorro do jornalista perseguido. Outro deve que ir morar nos EUA para não ser massacrado pelo STF. 

Os outros estão entregues aos seus algozes na prisão sem saberem do que são acusados, nem eles, nem seus advogados. 

Na prisão, sob ameaças e pressão de seus algozes supremos, aqui fora sob o escarnio da imprensa comunista que os odeia. 

Eles alertaram o país de um golpe e denunciaram envolvidos – merecem serem protegidos pelos que têm pelo menos um pingo de amor verdadeiro pela democracia. Por que a maioria dos que aí estão seus interesses são outros.
Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é bem vindo
Opine, comente, debata ...