Acessos

sábado, 23 de novembro de 2019

Dados do CNJ escancara a venda de sentenças no Judiciário. Leva quem pagar mais


Os dados apontam 106 magistrados envolvidos: 1 ministro do STJ; 42 desembargadores; 63 juízes e 16 Tribunais com casos de venda de sentenças ou indício: (AM, MA, TO, RN, BA, PB, PA, CE, RR, GO, AL, RJ, AP, MG, PI, MS), três tribunais federais (TRT3, TRF2, TRF4).

Na Bahia, onde a PF realizou uma operação, há 9 casos envolvendo corrupção ou imparcialidade de magistrados.

  1. Rubem Dário Peregrino Cunha (desembargador do TJBA) - Venda de sentença.
  2. Olga Regina de Souza Santiago Guimarães
  3. Guimarães (juíza da Bahia) - Venda de sentença.
  4. Vitor Manoel Sabino Xavier Bezerra (juiz da BA) – Negligência.
  5.  Janete Fadul de Oliveira (juíza da BA) - Venda de sentença.
  6. Maria de Fátima da Silva Carvalho (juíza da BA) - Venda de sentença.
  7. Rosa Maria da Conceição Correia Oliveira (juíza da BA)-Imparcialidade.
  8. Mário Alberto Simões Hirs (desembargador do TJBA) - Liberação irregular de precatório. 
  9. Telma Laura Silva Britto (desembargadora do TJBA) - Liberação irregular de precatório.

No Maranhão 12 magistrados estão envolvidos com a corrupção ou imparcialidades.