20 de set de 2019

A LÁSTIMA DO BRASIL É O PRÓPRIO POVO QUE NÃO REAGEM QUANDO OS RATOS ATACA OS COFRES PÚBLICOS

Ivonete Gomes, em artigo Publicado em Terça, 12 de Abril de 2011, cita o filósofo francês Joseph-Marie Maistre (1753-1821), que escreveu seu nome na história ao lançar a expressão “cada povo tem o governo que merece”. A frase foi registrada em carta, publicada 40 anos mais tarde e faz referência a ignorância popular, na visão do autor a responsável pela escolha dos maus representantes.

No Brasil há espécie de ratos combatidas na desratização por causarem doenças 50 doenças. São considerados pragas altamente perigosas. São eles as Ratazanas, o Rato de Telhado e o Camundongo.

São combatidos com Racumin Forte. Um veneno capaz de frear o ímpeto desses roedores ladrões.

Semelhantemente, muitos dos representantes do povo no Brasil podem ser comparados com os roedores citados acima. Seus ataques não são os lixos das residências, mas os cofres da Nação. 

Estes tipos roedores que atuam na Câmara Federal e no Senado da República estão irmanados para aprovarem na calada da noite um fundo eleitoral de R$ 3,7 bilhões de reais para fazerem a festa. Num País em crise, com 12,8 milhões de brasileiros de desempregados.

E POR QUE ESSAS RATAZANAS NÃO SÃO DEDETIZADAS?

Compete ao povo com a força do protesto e manifestação frear os representantes que escolheram. O povo é o único poder capaz de desratizar o Congresso Brasileiro.

Não reagir à atitude de ratazanas de muitos parlamentares coloca o povo como a lástima do Brasil por conivência com aqueles que destroem nossas riquezas por interesses próprios e escusos.
Se o povo não desratizar o Congresso e as assembleias legislativas dos estados estão literalmente declarando falta de amor pelo Brasil e deixando se desintegrarem por falta de ação e defesa do País.

O sociólogo francês Émile Durkheim chamou de anomia essa desintegração social, ou seja, a ausência de solidariedade, o desrespeito às regras comuns, às tradições e práticas sociais.