24 de set de 2014

ERRO FATAL: 43 CANDIDATOS DO MA SE LASCARAM POR FORMAREM COLIGAÇÃO COM SERVIDORAS DO ESTADO QUE NÃO SE DESLIGARAM DO CARGO.

Presidente Estadual do PMDB cadastrou servidoras do Estado como candidatas para cumprir a cota de vagas para as mulheres e cometeu um erro fatal para 43 candidatos. Os candidatos abaixo já eram, o TSE já mandou 51 para casa por esse mesmo motivo em Goiás:

Servidoras usadas como ‘candidatas-laranja’
pelo PMDB: São a Assessora Especial da Casa Civil,
 Joana Marques; Camila Rodrigues Sampaio Nunes,
Assessora Especial do Cerimonial do Governo do
Estado; e Conceição Domingas Costa dos Santos,
Chefe de Gabinete da Administração. Apesar de
permanecerem lotadas nos cargos até hoje, todas
tiveram suas candidaturas deferidas pelo Tribunal
Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, mas devem
ter suas candidaturas cassadas pelo Superior Tribunal
Eleitoral (TSE).

PMDB, DEM, PTB, PV, PTdoB, PSC, PRTB, PR

  1. Afonso Manoel
  2. Andrea Murad
  3. Hélio Soares
  4. Max Barros
  5. Nina Melo
  6. Roberto Costa
  7. Socorro Waquim
  8. Adriano Sarney
  9. Hemetério Weba
  10. Edilázio Júnior
  11. Rigo Teles
  12. Antonio Pereira
  13. Cesar Pires
  14. Manoel Ribeiro
  15. Léo Cunha
  16. Rogério Cafeteira
  17. Fábio Braga
  18. Carlos Filho
  19. Stenio Rezende
  20. Camilo Figueiredo
  21. Josimar Cunha

PEN, PMN, PHS, PSD

  1. Jota Pinto
  2. Sergio Vieira
  3. Eduardo Braid
  4. Priscila Sá
  5. Carlinhos Florêncio

PT

  1. Francisca Primo
  2. Zé Inácio
  3. Américo
  4. Fernando Silva

PRB

  1. Ana do Gás
  2. Glaubert Cutrim
  3. Dr. Pádua
  4. Júnior Verde

PSL

  1. Graça Paz
  2. Edson Araújo
  3. Roma

PRP, PSDC, PTN

  1. Fábio Gentil
  2. Marcos Caldas
  3. Aristides Milhomem
  4. Paulo Neto
  5. Alexandre Almeida
  6. Sousa Neto

Para que se tenha uma ideia do rigor pelo cumprimento da Lei, há menos de um mês, por motivos semelhantes ao ocorrido no Maranhão, o TSE tirou a chance de 51 políticos do Goiás de se candidatarem nas eleições deste ano. Formada por seis partidos — PEN, PSL, PTC, PHS, PMN e PV — a coligação Unidos por Goiás teve o registro de todos os seus candidatos cassados pela Justiça Eleitoral por não obedecer à imposição legal de ter pelo menos 30% de candidatos do sexo feminino. Outro caso também foi registrado contra candidaturas no Estado do Mato Grosso.