2 de jul de 2014

Vereadores golpistas tentam dar legalidade ao golpe mal sucedido na Câmara Municipal de Paço do Lumiar, induzem o MP a erro e omitem as verdades dos fatos.

ENTENDA O CASO.

Foram convocados os vereadores para em 19/06/2014 elegerem a nova Mesa Diretora da Câmara para o Biênio 2015/2016. Os vereadores foram cientificados pessoalmente na sessão do dia 17.

Ocorre que o vereador André Costa, que ocupava cargo na Secretaria de Agricultura, tinha sido exonerado, não tinha sido convocado para a sessão extraordinária e não estava presente.

Antes do início da sessão, o Presidente da Câmara Leonardo Bruno foi informado pelo suplente de André Costa, que este tinha voltado ao exercício da vereança razão pela qual o suplente Edinaldo moura não tomou assento no plenário.

Leonardo Bruno consultou o Regimento da casa e com base no Artigo 132 e Parágrafo Único, abriu a sessão e deu as devidas explicações aos vereadores presentes e declarou encerrada a sessão, necessitando de nova convocação. Declarou o presidente da casa: “O vereador André Costa encontra-se habilitado a votar. Conforme o artigo 132 do artigo interno. O vereador não foi convocado no tempo regulamentar. Neste momento, por questão de ordem, declaro encerrada a presente sessão”.

Alguns vereadores que já haviam planejado um golpe, fizeram uma outra sessão sem convocação por conta e risco. Não ação desesperada arrombaram a secretaria da casa legislativa, subtraíram papeis e se declararam eleitos para conduzir a Câmara Municipal.

Imagens mostram as presepadas praticadas pelos golpistas. VEJA AS IMAGENS DO GOLPE.

Agora os edis golpistas tentam se fazerem de vítimas tentando criar um fato político, induzindo a Promotoria de Paço a erro, omitindo a verdade dos acontecimentos do dia da sessão.

Veja aqui os argumentos distorcidos para o MP.

A vida pregressa dos golpistas não lhes garante credibilidade, nem confiança.

Leonardo Bruno está num ninho de cobras conhecidas em Paço do Lumiar.