sábado, 26 de julho de 2014

ELEIÇÕES 2014: A chance da população do Maranhão de se livrar da Oligarquia Sarney, agora encabeçada por Lobão Filho cujo passado sujo lhe credencia para tal representação.

Na era Sarney a desgraça fez com que milhares de maranhenses se viram obrigados a deixarem o Maranhão para sobreviverem de migalhas nos garimpos da fronteira com a Venezuela, no corte de cana em São Paulo, em Minas Gerais, no Mato Grosso do Sul, na Lavoura do Tocantins, no Amapá, nas Guianas.

Como formiguinhas, os pobres maranhenses fugiam como formiguinhas da miséria proporcionada pelos Sarney, Lobões e seus asseclas. Pela Ferrovia Carajás, os maranhenses escaparam para o Pará e dai se espalharam pela amazônia. Dos 19 sem-terra assassinados pela PM do Pará, 11 eram fugitivos da miséria que a Oligarquia Sarney deixou no Maranhão.

A NATA DA OLIGARQUIA SARNEY
Diante de tanta miséria, sempre tivemos um Maranhão rico. Mas, essa riqueza só chega até à Oligarquia Sarney e seu grupo. Num esquema criminoso sem tamanho, essa Oligarquia e seu grupo se apossaram das terras maranhenses, expulsando do Maranhão um milhão de maranhenses, tornando-se donos da terra, donos do Mar e donos de uma ilha de 2.500 hectares em terras da Marinha.

Essa gente não tem limites. Luís Fernando não tinha sujeira suficiente para merecer a representação da Oligarquia. Só tinha improbidades.

Já Lobão Filho tem uma ficha e tanto para ser um honorável representante da Oligarquia: 

- Duas condenações criminais, somando mais de 3 anos de prisão. Livrou-se de uma por demora da Justiça e da outra através de recurso;

– Responde por crimes de formação de quadrilha, uso de documentos falsos e crime contra a ordem tributária (Inquérito nº 2736 e Ação Penal nº 496 );

– É acusado de se beneficiar de recursos destinados ao programa Minha Casa, Minha Vida, conforme reportagem da Revista Isto É.

ROSEANA SARNEY SAI DO GOVERNO, MAS DAS ILHAS VIRGENS COMANDARÁ LOBÃO FILHO.

Em janeiro de 2011, o executivo suíço Rudolf Elmer entregou à organização Wikileaks dados bancários que documentam, segundo ele, casos de crimes financeiros em paraísos fiscais. Entre os documentos, encontram-se alegadas provas de que Roseana Sarney fez operações secretas no banco Julius Baer, nas Ilhas do Canal e Ilhas Virgens, recebendo 10 mil dólares. As operações seriam intermediadas pelo Coronado Trust, fundo financeiro criado por Roseana Sarney e Jorge Murad nas Ilhas Virgens.24 25 Elmer hava previamente afirmado em livro que Roseana Sarney movimentou 150 milhões de dólares no banco Julius Baer de 1993 a 1999.26

Fonte: Livro Honoráveis Bandidos e Tribunais de Justiça.