terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

CNJ ADIA JULGAMENTO DE DESEMBARGADOR DO MARANHÃO ACUSADO DE PAQUERAR CANDIDATA AO CARGO DE JUÍZA.

Partes: 
C. N. J. 
J. F. A. (REQUERIDO)

Eventos
EventoData/HoraDescrição
« anterior  [1]   2   3   4  próximo »
39125/02/2014 09:19:18ADIADO a pedido da Conselheira Relatora
39025/02/2014 08:08:25INTIMADO(Requerido)  referente ao evento 386
38924/02/2014 17:26:06PUBLICADO NO DJ ELETRÔNICO nº 31/2014. Pag. 3-35. Disponibilizado em 19/02/2014. Pauta 183ª Sessão Ordinária
38621/02/2014 17:08:50INTIMAÇÃO(Requerido)
38521/02/2014 17:02:05DESPACHO/DECISÃO PROFERIDA
38321/02/2014 13:31:24CONCLUSO PARA DECISÃO/DESPACHO
38220/02/2014 18:34:45REQUERIMENTO AVULSO
38120/02/2014 11:53:46INFORMAÇÕES PRESTADAS TRIBUNAL
38019/02/2014 12:32:53INCLUÍDO NA PAUTA 25/02/2014 Ordem: 115

O blogueiro cesar belo relembra o caso:

LICUTE OU ASSÉDIO? DE TERÇO NA MÃO : CNJ JULGARÁ CONDUTA DO DESEMBARGADOR JAIME FERREIRA NA TERÇA


Não tem inocentes nessa história de assédio que envolve o Desembargador Jaime Ferreira de Araújo e a então candidata ao cargo de juíza, a baiana Sheila Silva Cunha.

Pela transcrição do diálogo entre o desembargador e a candidata a juíza, percebe-se desde o início que ambos usam da sensualidade e abusam das ambiguidades:


O desembargador fez uso de estratagema amadora, para conseguir obter o celular da candidata, que cede facilmente escrevendo no livro do inquiridor.     

As insinuações são recíprocas. O tom da voz da candidata exala sensualidade. O desembargador mostra-se um predador ágil e operante. 

O uso do pronome "ele" pela "presa" é mais do que sugestivo. Risos e suspiros são indícios de uma falsa ou real predisposição entre ambos?

O momento de cumplicidade ocorre quando o desembargador sugere que o marido da advogada viaje pela manhã. Questionada a "vítima", reponde que "ele" vai sim.

Tudo não passou de um licute(flerte) ou poder-se-ia falar em assédio sexual? As consequências são imprevisíveis para o desembargador que será julgado na terça-feira(25).

Uma frase é fundamental para arguir-se a contradição ou contrariedade. É quando a candidata/futura juíza reclama para o desembargador em tom meloso/sensual/sutil:

"A gente já foi inquirida neste direito judiciário, o senhor vai me perguntar de novo, está me preocupando. Vamo, vamo...". Será que ela queria ditar as perguntas que deveriam ser feitas.

O diálogo do suposto assédio durou exatos 50 segundos. Se  fossem 69 segundos, não teria dúvida que a culpa recairia sobre as duas cabeças errantes. 

Vejam a degravação e tirem suas conclusões.    

Jaime- Porque a senhora  não atendeu meu telefone?(quem deu o telefone para ele? Ela?)
Sheila- Ele chegou.
Jaime- Vocês ficam até quando?
Sheila- Até amanhã?
Jaime- Vocês vão embora amanhã?
Sheila- Ele né. Eu fico vou ver o resultado.
Jaime- O resultado sai amanhã de tarde.
Sheila- Reunião aqui ?
Jaime-Manda ele ir de manhã.
Jaime-Manda ele ir embora amanhã de manhã.
Sheila- Ah é!(Risos)
Jaime- Vai mesmo?
Sheila- Vai.
Jaime-Ai que bom.
Jaime- Então amanhã a tarde a gente se fala.
Jaime- Sheila Silva Cunha
Sheila- Sheila Silva Cunha.
Jaime- Vamos começar pelo Direito Judiciário.
Sheila- A gente já foi inquirida neste direito Judiciário. O senhor vai me perguntar de novo, está me preocupando. Vamo, vamo.
Jaime- Vou fazer uma bem fácil para você.


Je teme ou Jaime teme?