Acessos

segunda-feira, 1 de julho de 2013

DILMA DEFENDE REFORMAS SÓ NOS OUTROS PODERES, NO DELA NÃO: "não está à vista nenhuma reforma ministerial".

Veja entrevista que acaba de conceder:

19:35
Em seguida, Dilma afirmou que "não há hipótese" de se fazer qualquer redução em gasto social, citando os programas Bolsa Família, Água para Todos e Luz para Todos.
19:34
Indagada sobre redução de gastos, a presidente disse que esse é um "dilema que existe todos os dias de uma administração pública". "Basta você ser eleito presidente, governador ou prefeito, você tem de fazer o melhor possível para o seu Orçamento. E aí nós temos de priorizar, e nós priorizamos".
19:30
Questionada sobre uma possível reforma ministerial, Dilma respondeu que "não está à vista nenhuma".
19:29
Dilma disse que "gostaria" que a reforma política valesse para o ano que vem. "Nós não temos como definir isso, depende do prazo que der o Tribunal Superior Eleitoral. Em função desse prazo que eu não sei qual será, depende do Senado e da Câmara. Eu não tenho governabilidade sobre essa questão. Em função das mobilizações que tivemos, eu gostaria muito que tivesse efeito no ano que vem."
19:24
Nunca comentei pesquisa, nem em cima nem embaixo. Eu recebo pesquisa pelo valor de face. Ela é um retrato do momento, e a gente tem que respeitar.
, presidente da RepúblicaDilma Rousseff
19:23
A presidente disse que não comentaria o resultado da pesquisa Datafolha divulgada no fim de semana que mostrou queda no índice de aprovação do governo.
19:22
É obvio que nós não vamos dar sugestões de perguntas, que ficam entre o Senado e a Cãmara de um lado e entre o Tribunal Superior Eleitoral de outro. Quem convoca o plebiscto é o Congresso Nacional, Câmara e Senado. Por isso insisti na palavra - é uma sugestão.
, presidente da RepúblicaDilma Rousseff

19:20
De acordo com a presidente, será enviada nesta terça para o Congresso a sugestão de consulta da população no plebiscito da reforma política. Segundo Dilma, a proposta vai apresentar "as balizas que julgamos que são as mais importantes. Isso não significa que outros nortes não poderão acontecer".
19:17
A presidente disse que espera a aceleração por todos os ministérios da gestão e da execução dos projetos que já estão estão em andamento.
19:16
Não tem como supor que há como diminuir tarifa com dinheiro que não saia do nosso bolso, com dinheiro do contribuinte ou da tarifa.
, presidente da RepúblicaDilma Rousseff
19:16
Sobre transporte coletivo, Dilma disse que, antes da manifestações, houve dois momentos na tentativa de se diminuir o preços das tarifas - um foi a deseoneração da folha de pagamentos das empresas de ônibus e outro, a desoneração integral do PIS-Cofins. "Com isso, havia uma redução média de 22 centavos no Brasil inteiro", afirmou.
19:13
A presidente afirmou que o Brasil experimentou nos últimos dez anos "uma melhora significativa da vida da população", mas, com as manifestações, ficou clara, segundo ela, a importância da questão urbana no país. "As manifestações mostram que é possível querer mais e querer melhor", declarou.
19:11
É importante que a consulta popular balize qual é a reforma política que se pretende.
, presidente da RepúblicaDilma Rousseff
19:09
Sobre a reforma política, a presidente afirmou que é importante "a busca nao só de um governo voltado para o povo, mas um governo que quer que o povo participe". "Daí porque a proposta de consulta popular tem um sentido de transferir para a população o direito de ser consultada", disse.
19:06
Essas manifestações, elas trouxeram mudanças importantes no quadro politico brasileiro e devem ser entendidas corretamente para que a energia que nós vimos e a mensagem que vimos na rua sejam entendidas. O Brasil é um país democratico. É importante que a gente frise a diferença dessas manifestações em relação ao que ocorre no resto do mundo.
, presidente da RepúblicaDilma Rousseff

19:04
Segundo a presidente, o objetivo da reunião ministerial é fazer "uma discussão aprofundada" sobre os cinco pactos nacionais que anunciou na semana passada durante reunião com governadores e prefeitos.
19:01
A presidente Dilma Rousseff interrompeu a reunião com os ministros do governo para dar uma entrevista à imprensa.