29 de out de 2012

NO MARANHÃO PRESOS POLÍTICOS SÃO SOLTOS PELA OLIGARQUIA SARNEY.

É ISTO MESMO QUE VOCÊ ESTÁ LENDO!

Por participar de um ato político um PM candidato  a Vice-Prefeito e vários outros militares fora do expediente e de quaisquer serviços, foram presos ao declararem apoio à candidatura de Edivaldo Holanda Júnior, apoiado pelo PC do B, objeto de ódio dos Sarney em razão da ascensão de Flávio Dino no cenário político do Maranhão.

Cabo Campos, um negro íntegro e candidato a vice-prefeito, deixa a prisão com a estima abalada - O dano moral é irreparável.

Para intimidar os militares, fizeram uma montagem de um vídeo de uma reunião que havia a presença do Candidato que eles apoiavam. Depois fizeram uma orquestração classificando o vídeo de "prova de formação de milícia armada".

Com base no falso vídeo e para beneficiar o candidato João Castelo, o Governo do Maranhão comandado pela Oligarquia Sarney determinou a prisão dos PMS de forma arbitrária, ilegal e sem nenhum argumento plausível, utilizaram como argumento a Norma aplicada somente para militares  pertencentes aos quadros do Exército (CONFIRA AQUI).

Os presos políticos foram mantidos no cárcere até o término das eleições para evitar que eles fortalecessem a campanha do candidato que estavam apoiando.

Mesmo a justiça eleitoral declarando a falsidade e a montagem do vídeo, o Governo de Roseana Sarney continuou com a tirania, não soltou os inocentes.

A PRÓPRIA JUSTIÇA ELEITORAL CONSTATOU QUE O VÍDEO FOI MONTADO.

Confira abaixo a íntegra da decisão que sepultou a "Farsa da milícia" e mesmo assim os PMS permaneceram na prisão:


Agora, tomando conhecimento de uma grande manifestação dos de centenas de militares apoiados pela população, o único governo oligárquico do Brasil resolveu saltar os presos políticos.

O cabo Campos (que concorreu ao cargo de vice-prefeito) e o sargento Aquino deveriam deixar a prisão somente nesta terça-feira, às 7:30, mas o Comando da PM resolveu antecipar a soltura para a noite de segunda-feira (29). Essa decisão foi tomada depois do anúncio de uma grande manifestação de militares e seus familiares para recepcionar os dois PMs em frente ao Quartel do Comando Geral, no Calhau, no momento em que fossem liberados.

Mesmo com a antecipação da soltura, o movimento em apoio ao cabo Campos e ao sargento Aquino está confirmado.