TODO PODER EMANA DO POVO

Acessos

Mostrando postagens com marcador stf. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador stf. Mostrar todas as postagens

sábado, 29 de janeiro de 2022

BOMBA!! AGU descobre armadilha para Bolsonaro. Desfaz a tocaia e deixa seu inimigo supremo furioso

Vamos aos fatos!

Em 04/08/2021, o Presidente da República cumpriu seu dever de transparência de noticiar aos brasileiros, que em 2018, um hacker ficou 8 meses acessando o TSE (de abril a novembro). 

Houve um inquérito da Polícia Federal sobre a invasão do sistema do TSE. Houve acesso e roubo de diversos tipos de informações a partir da invasão de muitos computadores do tribunal. 

Dados do inquérito dão conta, que a primeira invasão teria sido percebida no dia 20 de abril e foi detectada pela equipe do Tribunal Regional de Pernambuco. Mas o ataque teria se iniciado no dia 18 daquele mês e teria ido até o dia 21. A invasão e o escaneamento de dados seguiram ainda para os TREs do Acre, Pará, Ceará, Bahia e Paraíba”. Fez a festa!

O inquérito não era sigiloso, mas depois que Bolsonaro divulgou, inventaram de dizer que era sigiloso para perseguir o presidente.

Rapidinho providenciaram um esquema para querer intimidar Bolsonaro. Lhe incluíram num dos inquéritos sigilosos do fim do mundo e lhe intimaram para depor.

No dia 26/1/2022, a Advocacia Geral da União – AGU informou que o presidente não compareceria à arapuca feita para ele e que declinava de comparecer ao ato processual destinado à sua oitiva.

O carrasco de Bolsonaro não deixou barato, no dia 27/01/2022, em tom impositivo e desrespeitoso, e para desmoralizar o presidente, determinou que o mesmo tinha que comparecer às 14 horas desta sexta-feira (28) para depor e depois alguém cuidou de vazar para os associados dos que odeiam Bolsonaro sobre seu depoimento “debaixo de vara” para o escárnio geral.

Em seguida, a AGU quebrou o esquema e informou que o presidente Bolsonaro não compareceria na armadilha: “nada obstante o caráter sigiloso do Inquérito n° 4.878/DF, a defesa restou surpreendida com o vazamento de informação sensível – e sigilosa –, qual seja, a divulgação na imprensa da data máxima para a tomada do depoimento do Senhor Presidente da República [...]". o "ocorrido repercute em constrangimentos ao Senhor Presidente da República”.

Disse mais a AGU: “o Presidente da República declina da oitiva pessoal que lhe foi oportunizada pela autoridade policial, no bojo do Inquérito n° 4878, como lhe garantem as normas constantes dos arts. 1º, III; 5º, LIV, LV, LVII, e LXIII todos da CRFB/88, do Artigo 8º, item 2, alínea "g", da Convenção Americana sobre Direitos Humanos, o princípio do nemo tenetur se detegere e a jurisprudência em controle concentrado do STF (ADPF's 395 e 444), pugnando, assim, pelo regular prosseguimento do feito, sem realização do ato solene”.

Ah! Meu amigo! O carrasco de Bolsonaro ficou furioso!!
E nesta mesma sexta-feira (28) , com sangue nos olhos, mandou dizer para o presidente da República que não aceitava seu não comparecimento: Vai ter que depor!!

DEPRIMENTE!! Embasou seu argumento nos princípios da boa-fé objetiva e da lealdade processuais.

Esqueceu o carrasco de Bolsonaro que inquérito é uma fase prévia ao processo (ainda não é processo). O inquérito é um procedimento administrativo, e nele ainda não há o exercício efetivo de pretensão acusatória.

Para o jurista PACELLI, Eugênio, em Curso de processo penal. 18ª ed. São Paulo: Atlas, 2014, p. 14, “decididamente, inquérito policial não é processo, misto não será o sistema processual, ao menos sob tal fundamentação”.

Cada dia que se passa é revelado o caráter político de muitas decisões de alguns ministros do STF.

É uma vergonha!!

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

EXCLUSIVO!! Blog revela a associação do ódio incumbida de eliminar o presidente do PTB Roberto Jefferson e críticos da direita.

Alexandre de Moraes, do STF, não é o único algoz de Roberto Jefferson, do Presidente da República e de seus apoiadores. Ele age a pedido e ao atender os pedidos, aproveita para imprimir seu ódio, ideologia e narrativas.

Não acusem só o Moraes. Os inimigos formaram uma organização para eliminar o que eles consideram empecilhos a seus interesses escusos. Suas ações não ficam só no discursão. Agem articulados, com toda força e utilizam as parcerias institucionais para eliminar qualquer um.

Enquanto grupos de direita ficam no discurso de protestos e críticas nas redes sociais, a organização da extrema esquerda trabalha é para calar para sempre quem eles conseguem pegar. Para isto utilizam a estrutura que aparelharam no Judiciário, no Legislativo e até no Executivo, onde elementos estão a seus comandos 24 horas por dia. É de lá que eles obtém autorização para continuarem com suas narrativas e calando opositores.

Os inquérito e processos instaurados para nas instituições do judiciários para perseguir e intimidar cidadãos que são críticos são exemplos de serviços executados por esse elementos comandado pelos chefões da extrema esquerda.

O exemplo claro dessa organização do ódio é o caso do Presidente do PTB, Roberto Jefferson - cidadão que resolver encarar esse sistema, mais antes que ele revelasse mais coisas procuraram calá-lo para sempre, ou seja estão botando para eliminá-lo e parece que vão conseguir. Percebe-se que ele tem poucos dias - não aguentará a tortura psicológica e pressão dessa organização da extrema esquerda.

A organização da escalada do ódio tem nome e endereço: Alencar Santana Braga, Afonso Bandeira Florence, Célio Alves de Moura, Ênio José Verri, Francisco de Assis Carvalho Gonçalves, Gleisi Helena Hoffmann, Henrique Fontana Júnior, João Carlos Siqueira, João Somariva Daniel, Jorge José Santos Pereira Solla, José Airton Felix Cirilo da Silva, José Cerqueira de Santana Neto, José Nobre Guimarães, Luizianne de Oliveira Lins, Maria Margarida Martins Salomão, Nilto Ignacio Tatto, Paulo Fernando dos Santos, Paulo Roberto Severo Pimenta, Rogério Correia de Moura Baptista, Rosa Neide Sande de Almeida e Rui Falcão.

PARA CALAR ROBERTO JEFFERSON OLHA O QUE ELES FIZERAM OFICIALMENTE. FORA AS ORIENTAÇÕES E ARMAÇÕES DE BASTIDORES.

Em articulação associada, utilizaram o protocolo do STF para, como Hamã (Livro de Ester - na Bíblia), que alimentava um desejo de eliminar os judeus que haviam ficado cativos na Babilônia.

Assim, para calar e eliminar Roberto Jefferson da política e impedir suas críticas apresentaram acusações recheadas de mentiras e calúnias, protocoladas no STF sob o registro PET nº 8.849. Neste documento eles apresentas suas narrativas:

(a) Que ROBERTO JEFFERSON vem divulgando apoio ao Senhor Presidente da República, em acordo político do partido que preside visando a governabilidade do país, com a participação efetiva daquela agremiação no governo mediante a nomeação de filiados em cargos públicos estratégicos;

(b) Que ROBERTO JEFFERSON divulgou em sua conta na rede social Twitter imagens e frases que extrapolam em grande medida o direito à livre manifestação do pensamento, atacando e ameaçando frontalmente o Estado Democrático de Direito, essa Corte, a liberdade de imprensa, além de incitar a violência e acirrar ainda mais o clima de alta polarização que domina o país;

(c) Que ROBERTO JEFFERSON diz estar preparado para combater a ditadura, o comunismo, a tirania, citando o slogan de campanha eleitoral do atual presidente;

(d) Que ROBERTO JEFFERSON aparece em fotografia portanto um fuzil, arma de grosso calibre de uso restrito das forças armada;

(e) Que ROBERTO JEFFERSON sugeriu ao Presidente da República que “demita” os onze ministros dessa Corte e casse arbitrariamente concessões de rádio e TV de empresa de comunicação considerada inimiga do governo, medidas ilegais e totalmente contrárias à Constituição Federal;

(f) Que ROBERTO JEFFERSON pode ter havido violação ao disposto no § 4º do art. 17 da Constituição Federal em que é vedada a utilização pelos partidos políticos de organização paramilitar;

(g) Que ROBERTO JEFFERSON pode ter possível participação em atos de ataque à democracia, e que praticou em tese o crime definido no art. 16 do Estatuto do Desarmamento.

Esses pedidos deveriam fazer parte do Inquérito 4.828, aberto no STF para intimidar pessoas que criticam elementos da corte. A PGR pediu para o ávido Moraes arquivar esse processo de intimidação de críticos , sendo ele obrigado a revogar as prisões ilegais de Sara Giromini (Sara Winter), Renan de Morais Souza, Érica Viana de Souza, Emerson Rui Barros dos Santos, Oswaldo Eustáquio Filho e Arthur Castro e Daniel Miguel.

Tomado pela determinação de perseguir e intimidar críticos, elemento do STF mandou novo Inquérito 4.781 e copia as coisas do arquivado para este. A perseguição e intimidação tinham que continuar.

E assim vai operando essa organização da extrema direita, utilizando os elementos que utilizaram para aparelha o STF com suas ideologias e narrativas. É a opinião e avaliação deste humilde cidadão como do povo.

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

BOMBA!! 🧨No jogo bruto contra Bolsonaro Ministro do TSE marca julgamento para terça-feira (26). O mandato do ministro termina na sexta-feira (29). O blog expôe as armações e PF inocenta Bolsonaro

A partir da associação com com a Folha de São Paulo, inimiga de Bolsonaro, comunistas do PT, PC do B e PROS armaram um plano para acusar Bolsonaro de ter praticado crime eleitoral.

No apurado pelo blog constam indícios de que o Jornal Folha de S. Paulo cuidou da tarefa de plantar uma notícia falsa (fake news) e com ela os comunistas dariam sequência ao plano criminoso de acusar Bolsonaro de ter fraudado as eleições e crime eleitoral.

Deram início à execução do plano em 18/10/2018, quando o Jornal Folha de S. Paulo plantou a matéria criminosa, dizendo: “foram comprados pacotes de disparos em massa de mensagens contra o Partido dos Trabalhadores, e a Coligação ‘O Povo Feliz de Novo’, pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp”.

No mesmo dia (18/10/2018), o PT, PC do B e PROS continuaram a execução do plano, indo ao TSE e apresentando Ação de Investigação Judicial Eleitoral, que recebeu o número Processo 0601771-28.2018.6.00.000.

No dia seguinte (19/10/2018), o então Corregedor-Geral da Justiça Eleitoral da época, Ministro JORGE MUSSI, percebeu a armação e escreveu no processo: “toda a argumentação desenvolvida pela autora está lastreada em matérias jornalísticas”. Ou seja não tinha nenhuma prova.

Em 18/6/2019 o Jornal Folha de S. Paulo plantou a matéria falsa, denunciando que "empresas brasileiras teriam contratado uma agência de marketing na Espanha para fazer disparos em massa de mensagens pelo WhatsApp a favor da candidatura de Bolsonaro".

No dia seguinte (19/06/2019) a Folha de S. Paulo publicou a fake news, dizendo: “Engenheiro boliviano diz que seu software foi usado para disparos pró-Bolsonaro”.

Em 7/10/2019, o Ministério Público Eleitoral instado a se manifestar pelo Ministro JORGE MUSSI, "pronunciou-se pela rejeição das preliminares e, no mérito, pela improcedência da ação de investigação judicial eleitoral" contra Bolsonaro.

Com isso, vendo o plano do PT, PC do B e PROS indo por água abaixo, a Folha de S. Paulo plantou a notícia falsa, dizendo: “WhatsApp admite envio maciço ilegal de mensagens nas eleições de 2018".

Depois disto (em 15/10/2019), o mesmo Ministro JORGE MUSSI concluiu o processo e marcou o julgamento de Bolsonaro, escrevendo: “encontra-se concluso, desde 10.10.2019, para confecção de voto e inclusão do feito em pauta, para julgamento plenário", depois estranhamente deferiu pedido para ser compartilhado supostas provas de outro processo, o de número 0601782-57.2018.6.00.0000, Julgado improcedente em 08/03/2021 pelo Plenário do TSE.😱

A partir daí inicia-se um jogo bruto pra cima de Bolsonaro envolventos elementos do STF e do próprio TSE - os fatos no processo mostram esse jogo brutal dentro de uma corte de justiça, cujo todos integrantes deveriam zelar pela isenção e imparcialidade.

VAI VENDO!!

Em 27/5/2020, como o plano não estava dando certo, solicitaram que supostas provas obtidas no Inquérito nº 4.781 do Xerife Alexandre de Moraes, fossem anexadas no processa eleitoral. O Ministério Público Eleitoral opinou pelo indeferimento dessa armação.

Em 9/12/2020, Bolsonaro anexou no processo sentença do Juízo da Vara Cível da Comarca de Brusque/SC, na qual a Folha de S. Paulo e a jornalista Patrícia Campos Mello foram condenadoa ao pagamento de indenização por danos morais ao representado Luciano Hang e à Havan Lojas de Departamentos LTDA., no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais), em razão das mesma falsas notícias absorvidas pelo TSE e Alexandre de Moraes nos seus inquéritos criados para perseguir apoiadores de Bolsonaro.

Já em 14/7/2021, o Ministro Luis Felipe Salomão, telator da ação dos comunistas, recebe o Ofício eletrônico nº 9850/2021, de Alexandre de Moraes, por meio do qual encaminhou cópia do Relatório do Inquérito nº 4.781 em que ele acusa, investiga e julga. foi enviado para rechear o processo de acusação contra Bolsonaro.

Em 3/8/2021, o Ministro Luis Felipe SalomãoCorregedor-geral da Justiça Eleitoral👨‍⚖️, ombreado com Alexandre de Moraes, pediu o recheio de mais o Inquérito 4.828, do STF, alegando que ali "poderia conter elementos de interesse ...."😲

Consta no Relatório de Análise nº 32/2021 produzido pela Polícia Federal, que, após análise de conversa entre Luciano Hang e Allan dos Santos, “não foi encontrada mensagem que se relacione com a hipótese criminal” de acusação a Bolsonaro.

A PF também relatou que em conversas entre Allan dos Santos e Eduardo Bolsonaro, não havia “qualquer comprovação de prática de crime antidemocrático ou participação” do representado “nas acusações inverídicas efetuadas a seu respeito”.

Por fim o Ministério Público Eleitoral opinou pela improcedencia da ação articulada pelos inimigos de bolsonaro, de fora e de dentro da Câmara, do Senado e do próprio Judiciário, conforme os indícios apontados.

Esse é o jogo bruto pra cima de Bolsonaro sem dó e piedade. São facada outras.🔪🔪🔪

sexta-feira, 30 de julho de 2021

BOMBA!! Programa do STF serve de meio para praticas de delitos contra o Presidente da República - ministro diz que "repercute mais vir ao Supremo"

Dezenas de atos criminosos foram articulados por gente da Esquerda, utilizando o Programa Peticionamento Eletrônico do STF, que consolida todo processo judicial eletrônico na Corte. empreenderam uma série de ataques criminosos contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, usando esse do Programa STF.

Como regra geral toda notícia de prática criminosa deve ser dirigida à autoridade policial ou ao Ministério Público Estadual ou Federal. Entretanto, por aceitação de ministros do STF, dezenas de denunciações caluniosas e de comunicações falsas de crimes foram protocaladas no STF contra a pessoa do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

O Regimento Interno do Próprio STF, no art. 230-B, determina que o Supremo não processa ou protocola comunicação de crime, pois as notícias de crimes devem ser apresentadas diretamente a uma autoridade policial ou ao Ministério Público, não ao Supremo Tribunal Federal. Mas, para repercutir as denunciações caluniosas e de comunicações falsas de crimes contra Bolsonaro, as petições e o protocolo são aceitos pelo STF. Por quem alguns ministros nutrem ódio mortal - o que pode ser extaído de suas falas.

Pronto! Cumprida esta a parte do STF de gerar repercursão negativa contra a pessoa do presidente com a aceitação dos protocolos e petições dos da esquerda. Depois da repercurssão articulada por quem peticionou, despachos surgem em cada denúncia, encaminhando as denunciações caluniosas e das comunicações falsas de crimes ao MPF.

A armação está tão evidente, a ponto do Ministro Marco Aurélio revelar o esquema: "A rigor, a notícia da prática criminosa deveria ser dada ou à autoridade policial ou ao Ministério Público Federal, titular de uma possível ação penal pública incondicionada. Mas parece que repercute mais vir ao Supremo". (disse isto em despacho nos autos da Petição 9.675).

Denunciações caluniosas e comunicações falsas de crimes são os atos que a organização criminosa da esquerda vem perpetrando contra o Presidente da República via Supremo.

O artigo 339 do Código Penal diz que comete crime "Dar causa à instauração de processo judicial, contra alguém, que o sabe inocente (Denunciação Caluniosa): Pena - reclusão, de dois a oito anos, e multa.

Já o artigo 340 também do Código Penal, diz que comete crime, quem provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime que sabe não se ter verificado (Comunicação Falsa de Crime): Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.

AGORA PASMEM!!
Esses delitos de denunciações caluniosas e comunicações falsas de crimes contra o Presidente da República estão ocorrendo às vistas do MPF detentor da ação penal pública incondicionada para esses tipos de delitos.

Dar a entender uma certa convergência de esforços para golpear o Presdente da república, que apos declarar-se inimigo da corrução passou a ser inimigo daqueles que com ela se irmanava.


terça-feira, 29 de junho de 2021

VEJA!!! O desejo mortal e o ódio dos inimigos de Bolsonaro

A imagem é chocante!! 
Mas, esse é o desejo e ódio dos inimigos de Bolsonaro. 

Adélio Bispo do PSOL, interferência clara do STF, CPI do CIRCO, atribuição de todas mortes pelo Covid-19 a Bolsonaro, chamá-lo de Genocida, difamá-lo, injuriá-lo e caluniá-lo, constitui seus desejos mortais de destruí-lo e junto todos os que o seguem.

Não param por aí!!
Partiram para agredir, intimidar e prender seguidores da política do Presidente Bolsonaro.

Envolvidos em toda essa bandalheira nota-se a presença até de ministros do STF - dito guardião da democracia. Mas, não passa de gente presas a seus interesses e esquemas escusos.