26 de jul de 2019

O depoimento do Hacker e o indício que o PC do B, o PT e o PSOL estão envolvido nesse método terrorista

Fato 1 - A PF constatou movimentações de R$ 627 mil pelos hackers que se relacionavam com Manuela D'Ávila (maioral do PC do B) e o jornalista Greenwald, casado com o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ). Á PF, o hacker WALTER DELGATTI NETO não quer dizer quem repassou o dinheiro, disse: "não exerce nenhuma profissão remunerada, obtendo seus rendimentos de aplicações financeiras que possui". "Perguntado como obteve recursos para compor suas aplicações financeiras, afirmou não saber".

No seu depoimento o o hacker WALTER DELGATTI NETO, também diz:.

Fato 2 - QUE na manhã do Dia das Mães de 2019, ligou diretamente para MANOELA D'ÁVILA afirmando que possuía o acervo de conversas do MPF contendo irregularidades; QUE ligou para MANOELA D’ÁVILA diretamente da sua conta do TELEGRAM e disse que precisava do contato do jornalista GLENN GREENWALD e fez o envio para ela de uma gravação de áudio entre os procuradores da República ORLANDO e JANUÁRIO PALUDO; QUE no mesmo domingo do Dia das Mães, cerca de 10 minutos após ter enviado o áudio, recebeu uma mensagem no TELEGRAM do jornalista GLENN GREENWALD, que afirmou ter interesse no material, que possuiria interesse público; QUE começou a repassar para GLENN GREENWALD os conteúdos das contas de TELEGRAM que havia obtido; QUE como o acervo era muito volumoso, optou, juntamente com o GLENN GREENWALD alterar o método de envio do material; QUE assim, criou uma conta no Dropbox, enviou o material e repassou a senha para GLENN GREENWALD; QUE em nenhum momento passou seus dados pessoais para GLENN GREENWALD; QUE GLENN GREENWALD ou qualquer jornalista de sua equipe conhece o DECLARANTE; QUE nunca recebeu qualquer valor , quantia ou vantagem em troca do material disponibilizado ao jornalista GLENN GREENWALD; QUE o material disponibilizado ao GLEEN GREENWALD foi obtido exclusivamente pelo acesso a contas do TELEGRAM; QUE a partir do acesso que teve a contas do TELEGRAM de diversas autoridades públicas; 

Fato 3 - QUE não exerce nenhuma profissão remunerada, obtendo seus rendimentos de aplicações financeiras que possui; QUE perguntado como obteve recursos para compor suas aplicações financeiras, afirmou não saber.