26 de abr de 2019

Burrada (estupidez) do ministro da Educação: quer desestruturar os cursos de Filosofia e Sociologia

Com tamanha burrada o ministro da educação deveria ser demitido
Burrada (estupidez). É a classificação que se pode dar à sugestão do atual ministro da Educação, de diminuir o investimento nos cursos de Filosofia e Sociologia para, supostamente aplicar em cursos da área técnica, no ensino de leitura, escrita e a fazer conta, 'e depois um ofício que gere renda para a pessoa e bem-estar para a família, que melhore a sociedade em sua volta'.

Era melhor o ministro ter dito diretamente que tem aversão à Filosofia e à Sociologia. Estas ciências permitem ao estudante contextualizar os espaços sociais que frequenta, seu Bairro; sua Cidade; seu Estado; e seu País, bem como ter uma visão de mundo, uma visão da realidade. Isto sim, é o que ajuda o projeto de qualquer governo que queira o "bem-estar para a família e a melhora da sociedade em sua volta".

Se espera que o governo Bolsonaro reveja o que acabou de ser declarado em face de seu conteúdo ridículo e estúpido.

Até mesmo um filósofo de esquerda considera a medida um equívoco, inclusive do ponto de vista estratégico. O prof. Rodrigo Jungmann, que leciona Filosofia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) diz que "Diminuir o peso de disciplinas de Humanas não ajuda a combater o que é chamado por conservadores de 'marxismo cultural'."

"A a supressão de cursos jamais será a solução”, afirma o professor.