quarta-feira, 22 de agosto de 2018

FAZENDO BARBA, CABELO E BIGODE - PARTE 1: Gestão de Flávio Dino paga R$ 2,2 bilhões para construtoras

Recentemente o líder comunista do governo de Flávio Dino na Alema, Othelino Neto (PC do B) fez a seguinte declaração: “Vamos fazer barba, cabelo e bigode, vamos reeleger o governador e os dois senadores” (Confira....).

A aloprada declaração do comunista Othelino faz sentindo. No Maranhão, com raras exceções, só ganha eleição que tem esquemas bem montados e recheados com muita grana. Isto é fato de domínio público.

Pois bem, dados verdadeiros e já checados chegaram ao blog e apontam para superfaturamentos, farra de aditivos de contratos do Estado, com fortes indícios de lavagem de recursos públicos.

Nesta primeira parte apresentaremos dados de muito dinheiro pago à empresas de engenharia e construção. É pouco serviço para muita grana; na segunda parte mostraremos o exemplo de superfaturamento em mais de R$ 15 milhões em uma obra do interior do Maranhão; e, na terceira e última parte, o esquema de aditivos detectado na gestão do governador Flávio Dino.

MUITA GRANA PARA POUCA OBRA

O levantamento é apenas preliminar e já aponta o valor de R$ 2.213.251.508,65 (dois bilhões duzentos e treze milhões duzentos e cinquenta e um mil e quinhentos e oito reais e sessenta e cinco centavos) pagos a empresas de engenharia e construção. Muitas dessas obras já se deterioraram ou são de péssima qualidade. A título de exemplo a ponte que caiu na MA 119, entre os municípios de Santa Luzia e Alto Alegre do Pindaré, construída pela empresa Pactor Construções que conforme planilha abaixo já recebeu R$ 72,1 milhões da gestão comunista.


Algumas da empresas que mais faturam no governo do estado prestando serviços ruins e duvidosos.


Desde 2015 contratos da gestão de Flávio Dino apontam gasto de R$ 4.663.166,09 na construção sete  escolas no município de Marajá do Sena. Em fevereiro deste ano (2018) é que Flávio Dino entregou apenas uma das escolas que constam nos contratos. Sem fiscalização dos órgãos de controle a coisa corre solta. Veja:
Se o TCE-MA, o MP e fiscalizassem e a maioria absoluta dos deputados estaduais não fossem vendidos, a história seria outra.

Na sexta-feira (24) a 2ª parte do FAZENDO BARBA, CABELO E BIGODE da gestão comunista ... AGUARDE - TUDO COM PROVAS.

Um exemplo de superfaturamento em mais de R$ 15 milhões em uma obra do interior do Maranhão.