terça-feira, 14 de agosto de 2018

CRIANÇAS SEM RUMO: o vídeo da professora que testemunhou o massacre da Candelária

Foto de ALAN LIMA
A artista plástica e profª Yvonne Bezerra de Mello coordena o projeto Ueré
Uma escola alternativa para crianças e adolescentes com dificuldades
de aprendizagem relacionados a traumas provocados pela convivência diária
com a violência na comunidade.
No dia 23 de julho de 1993, uma professora de nome Yvonne Bezerra de Mello dava aula para 250 meninos sem lar. De repente foi chamada por alguns deles e foi ao local que apontavam - eis a professora na cena de uma chacina - ali, na porta da igreja do Centro do Rio de Janeiro estavam mortas oito crianças de rua, assassinadas por três policiais militares.

Em seguida tetaram apagar a professora, ela foi sequestrada por policiais. “Puseram um fuzil na minha cabeça, diziam que iam me matar... Queriam evitar que eu testemunhasse. Mas não me mataram e testemunhei, claro que testemunhei [os três policiais foram condenados– hoje dois estão livres e um foragido]. Eu sabia o que acontecia ali todos os dias”, relata Yvonne para o EL PAIS, 24 anos depois do episódio.

Em vídeo ela fala da situação brasileira, onde as crianças vivem traumatizadas pela violência sem fim.

O Jornal Internacional EL PAIS fez uma reportagem especial sobre a professora Yvone com o título "A professora das crianças perdidas" (Confira).