quarta-feira, 15 de outubro de 2014

SEM AS TETAS DO ESTADO PARA CONTINUAR MAMANDO, SISTEMA MIRANTE COMEÇA A SE READEQUAR A NOVA REALIDADE.

Foram anunciadas demissões no alto escalão do sistema de rádios, televisões, jornal e internet. Os diretores Gustavo Assumpção, Ribamar Corrêa e Ronaldo Moraes já estariam fora dos quadros da empresa.

Os jornalistas Daniel Matos e Mário Carvalho também estão na fila de demissões. Cerca de quarenta funcionários podem deixar o grupo nas próximas semanas.

Em 2005, quando o então governador José Reinaldo Tavares (PSB) fechou as torneiras para a oligarquia, as movimentações financeiras atípicas de Fernando e Tereza Sarney para os cofres da emissora chamaram a atenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) e deram origem à Operação Faktor da Polícia Federal.

A governadora Roseana Sarney, assim que assumiu em abril de 2009, fez dotação inicial prevendo gastos de R$ 24.971.294,oo com publicidade.

Como concluiu que a verba era pequena porque o custo de veiculação é alto e os institucionais tem sido usado excessivamente em dois dos seus principais veículos, jornal O Estado do Maranhão e TV Mirante, a governadora mandou empenhar e pagar R$ 43.072.324

O Sistema Mirante de Comunicação levou mais de R$ 25 milhões. A soma acima citada é superior aos gastos dos governo de José Reinaldo Tavares e Jackson Lago em 12 meses.

Apesar da liberação de mais de R$ 43 milhões, donos de rádios, TVs e jornais da capital e do interior reclamam a falta de pagamento pelos espaços ustilizados em seus veículos.

O Sistema Mirante recebe religiosamente em dia. Só em fevereiro deste ano, a Secom liberou para a VCR, uma das agências que administram as contas de publicidade do governo, quase R$ 2 milhões.