1 de jul de 2014

DO RUIM PARA O PIOR: sai os Sarney, entra os lobos e a Oligarquia continuaria dando as cartas. Só não vê quem não quer.

VAMOS PARA A HISTÓRIA. O Maranhão era assim:


O discurso era o mesmo de hoje, o de um “Maranhão Novo”.


Para chegar até onde está, a Oligarquia Sarney manteve a população no mesmo grau de dependência, na miséria, no analfabetismo, na fome, tendo assim controle político do Estado do Maranhão, administrando-o como um feudo.

Para isto, desde 1973 eles formaram um império de comunicação chamado Sistema Mirante de Comunicação, formado por estações de rádio em vários municípios do Maranhão e uma rede de emissoras de televisão, a TV MIRANTE.

COMO A OLIGARQUIA SARNEY SOBREVIVEU TODO ESSE TEMPO?


Mestre no que há de pior na política, Sarney passou alternar o comando do Estado entre seu seleto grupo, principalmente sua filha Roseana Sarney.

Destacados pela riqueza e pelo domínio do legislativo e do judiciário, os Sarney permaneceram no controle todo esse tempo.

Estudiosos detectaram que a Oligarquia Sarney apresenta as seguintes características:

a) o governo de poucos; 

b) a riqueza desses poucos; 

c) o nepotismo (proteção aos familiares);

d) o exercício do governo sem atender aos interesses da maioria. 


COM ISSO, A POPULAÇÃO O MARANHÃO CONTINUA NA MESMA.
Amparada pelo uso da fraude eleitoral, a Oligarquia se mantém no ilesa na condução do Maranhão. 

As eleições 2010 foram fraudadas às vistas da justiça eleitoral, que ainda permitiu manobras jurídicas para a não cassação de Roseana Sarney. 

Para frear qualquer tentativa de oposição, Sarney, criou o mito de que ninguém conseguiria chegar ao governo sem estar ligado à Oligarquia.

E assim é feito o controle da oligarquia sobre o processo sucessório no Estado do Maranhão:

João Castelo (1979/1982);
Luís Rocha (1983/1986);
Epitácio Cafeteira (1987/1990);
Edison Lobão (1991/1994);
Roseana Sarney (1995/....). Todos esses governadores ou saíram diretamente do grupo ou ganharam as eleições em aliança com a oligarquia.

Jackson Lago, que tentou acabar com a oligarquia, foi fulminado por ela, utilizando a influência que tem sobre a corrupta justiça brasileira, sacaram o governador como um cão pirento.

Edinho Lobão é a continuidade desse mesmo esquema político. Agora montado com o presidente da Assembléia Legislativa, Arnaldo Mello (útil na omissão e acobertamento dos desmandos da oligarquia). Por isto chamado de puro sangue.

É o mesmo discurso. E os que se dizem da oposição não tem demonstrado capacidade de mostrar isto para a população, eles se perdem na didática de mostrar o óbvio.

Para 2014, a estratégia está montada e não será desfeita apenas com discurso. Os agentes que conduzem as eleições já estão prontos, desde dos representantes das entidades contemplados com convênios eleitoreiros, até o prefeito conchavado para desviar recursos recebidos e aplicá-los na compra de votos.

Te cuida Flávio Dino, te cuida Maranhão.

Do “Maranhão Novo” ao “Novo Tempo”: a trajetória da oligarquia Sarney no Maranhão.