4 de abr de 2014

Com a força de quem obteve 23.632 votos para deputado federal em 2010, Wellington do Curso vai dar o troco naqueles que o atrapalharam em 2012.

Chegou a vez de Wellington do Curso
Injustiçado na última eleição para vereador, em 2012, quando teve o registro de sua candidatura negado pelo PSL, partido do qual era um dos membros mais destacados, o professor Carlos Wellington, o Wellington do Curso, volta a despontar com chances reais de conquistar um mandato eletivo. Filiado agora ao PPS, ele concorrerá a uma vaga na Assembleia Legislativa em outubro e vem sendo citado por 10 entre 10 analistas políticos como um dos nomes fortes para conquistar assento no parlamento estadual.
Com a força de quem obteve 23.632 votos para deputado federal em 2010, Wellington é um candidato altamente competitivo. E tem trabalhado muito para ampliar ainda mais o seu cacife. Após livrar-se das perseguições que marcaram sua permanência no PSL, ganhou ainda mais estatura política. Com apoio total do seu novo partido, ele entrará na campanha disposto a sair vitorioso.
Jovem e com boas idéias, ex-sargento do Exército Brasileiro onde serviu durante 15 anos no 24º Batalhão de Caçadores Barão de Caxias e hoje muda a vida das pessoas através da educação, Wellington é, reconhecidamente, um candidato qualificado, com os pré-requisitos necessários para tornar-se deputado. Tanto que após desligar-se do PSL, nada menos que 18 partidos reconheceram seu potencial e abriram as portas para filiá-lo. Cada uma das propostas foi avaliada criteriosamente e ao final ele escolheu o PPS, ingressando na sigla em outubro do ano passado onde hoje é vice-presidente ao lado de Eliziane Gama.
Mesmo fora da disputa em 2012, Wellington ainda obteve mais de 4 mil votos, votação superior a alguns candidatos eleitos. Agora, quando disputará o pleito para valer, tem tudo para ser eleito e colocar suas propostas em prática.