segunda-feira, 24 de março de 2014

MAIS EXECUÇÕES NA TERRA DOS SARNEY:

Quando não são populares bestiais, é a polícia a autora de execuções. A alegação é que as instituições não estão funcionando. 

De fato, o judiciário, o Ministério Público estão se tornando apenas de fachada.

As execuções não param:

A PM do Maranhão executou o jovem Alecksandro algemado para vingar ato do tio que feriu um soldado.

Sob o comando do Sargento Diogo, do Município de Paulo Ramos - MA, a PM foi fazer revistas no Bar do Ivan. O jovem Alecksandro reclamou quando foi revistado, passando a ser agredido a força e debaixo de ponta pés.

O sargento deu logo voz de prisão para Alecksandro , e ao partir para algemá-lo os PMs teriam sido insultados pelo acusado que não deixava se dominar. Foi ai que o Sargento Diogo desferiu um tiro na perna do acusado, segundo testemunha ouvida pelo blog.

O jovem estava desarmado e foi levado para o Hospital de Paulo Ramos.

Logo depois o tio de Alecksandro chegou ao Hospital, totalmente indignado, ele procurou pelo seu filho sobrinho, e indagou os policias sobre o episódio.

A resposta dos PMS foi agressiva, que partiram pra cima do tio, que ameaçado sacou de uma arma para se defender e detonou três tiros nos PMs, um deles atingiu o Sargento Diego no Peito esquerdo.

A testemunha afirma que um PM deu uma olhada para Alesacksandro e disse: "tu vai morrer agora", quando desferiu um tiro a queima roupa em Alecksandro , acertando a cabeça da vitima que faleceu na hora dentro do hospital ainda algemado. "uma verdadeira execução praticada pelos assassinos",  finalizou a testemunha, que se não for protegida será a próxima a ser executada.

Sexta-feira (21/03/2014) a PM executou um chamado marginal de periferia algemado com as mãos para trás.

Maxuel Rocha da Costa e a mãe, considerados marginais. Seus destinos são a morte por ser considerados um problema para os hipócritas e marginais de colarinho branco. O judiciário e o Ministério Público, sequer se pronunciam.


Sábado (22/03/2014) - um suspeito foi linchado. Teria  praticado um assalto a um taxista no bairro do Cohaserma. Cercado por taxistas e populares, o suspeito foi brutalmente executado. Ao ser capturados iniciou-se a sessão de espancamento que o levou à morte.
Paulo Henrique, um infeliz da periferia que teve a pena de morte decretada e cumprida imediatamente, sem nenhuma defesa ou explicação de seu ato.

Quem mandou ele roubar um um taxista, um profissional que dá um duro danado para sobreviver. Se ele roubasse alguns milhões dos cofres públicos, isso não lhe aconteceria, ao contrário, seria complementado nas ruas, nos corredores do judiciário e chamado de Doutor.

O Ministério Público não está nem ai:

Veja o vídeo dessa execução no Maiobão, Paço do Lumiar - Maranhão:


O Estado da bestialidade e proteção dos corruptos caminha não para a luz, mas para as densas trevas.

Cenas comuns no Maranhão.

Tentou tomar um celular - executado pela população em Jardim América em são Luís-Ma.