sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O CRIME VENCEU! A SEGURANÇA PÚBLICA DO MARANHÃO SUCUMBIU, A JUSTIÇA ESTÁ LITERALMENTE CEGA E COM OS BRAÇOS AMPUTADOS.

Mais uma vez a sociedade maranhense assiste a ascensão da criminalidade, que impera no Estado sem ser incomodada pelo inexistente e propagandeado Sistema de Segurança do Estado.

Empresário Daniel Smith, que também era assessor
 da desembargadora Nelma Sarney.
Um cidadão é pego na rua, fica em cativeiro, em seguida é trucidado, enquanto a dita inteligente polícia do Maranhão não consegue rastrear o celular da vítima. Só vindo fazer tarde demais para encontrar o cidadão torturado e morto.

Eles sabem da existência da bandidagem, eis o que diz a polícia sobre um dos bandidos:

Era chefe do tráfico de drogas e fazia parte – juntamente com mais 20 bandidos – da facção criminosa PCM, da área da Vila Conceição, na região do bairro Altos do Calhau, em São Luís. A quadrilha é especializada em assaltos a residências. (veja no G1)

A suposta garantia de segurança propagandeada pelo governo não passa de máscaras e mais máscaras, mentiras e mais mentiras. Uma polícia falida, corrupta e desinteressada é o que temos.

POR QUE CORRUPTA?
O Sistema não consegue se filtrar, ele próprio já é um mal exemplo para novos e pretensos policiais. A corrupção endêmica existente impõe mudança de comportamento àqueles que tenham fortes traços de caráter. O lema da corrupção é: ou entra, ou sai, fica calado ou morre.

E A JUSTIÇA?
Essa, coitada!  É parte do Sistema. Seus membros são escolhidos (no caso dos tribunais) pelos mesmos que promovem a criminalidade ou não conseguem reprimi-la. Muitos estão até associados a ela.

É verdade que temos magistrados com boas intenções, mais poucos corajosos. Os que se alvoram conhecem a cidade pé junto (o cemitério), outros são perseguidos, ameaçados e convivem com isto cabisbaixos.

Acuados pelo sistema, os magistrados brasileiros, com raras exceções conseguem separar o conceito de direito do conceito de justiça. Ficam presos na regra (o direito) e deixam de fazer justiça (dá a cada um o que merece).

A população é enganada num jogo de cena dos infernos. A polícia diz que prende, mas a justiça solta. Já o bandido diz que pagou propina para os dois.

A impunidade impera sem freio e sem medidas, dando forças para a bandidagem agir sem nenhum receio ou temor, com a ajuda de parte da grande imprensa, que sensacionaliza os atos de bandidos, transformando-os em heróis.


Enquanto isto, todos estão prontos para contabilizar as próximas vítimas, que pode ser você ou eu, hoje ou amanhã, pois no Maranhão estamos entregues à própria sorte.