18 de set de 2013

Uma enorme PIZZA para todo o Brasil.

Ministro Celso de Mello
Não convenceu ninguém
só ele mesmo.

Indicado por Sarney e dizendo ter sido injusto o julgamento dos mensaleiros, Celso de Melo fala que a justiça não pode dar ouvido às pressões externas. Seus argumentos caminharam para aceitação da arquitetação dos réus do mensalão desde 

Não entendi nada, Celso de Mello chamou os mensaleiros de “marginais do poder” quando os julgou.

Nenhum argumento jurídico convincente foi citado pelo Ministro Celso de Mello. viu-se um esforço sobrenatural do Ministro para tentar convencer, mas não conseguiu.

Embargos Infringentes não são cabíveis no Supremo (por Marco Aurélio Mello) VEJA...


Mesmo assim. não podemos satanizar o Ministro Celso de Mello, ele é um Ministro do STF, um Tribunal com marca politico-partidária e onde vários ministros carregam interesses ideológicos do PT.

A coisa fica mais clara quando eles agem no TSE.

O povo brasileiro não pode confiar num tribunal, que tem membros totalmente suspeitos por posição em relação a acusados.

EIS UM EXEMPLO:

MINISTRO DIAS TOFFOLI: Não podia está julgando o processo do mensalão.

OS ANTECEDENTES DO MINISTRO:
- Banco federal patrocinou R$ 40 mil para festa após a posse do ministro do STF (LEIA AQUI).

- foi advogado do PT nas três campanhas de Lula para presidente da República e defensor dos réus do mensalão.

- Foi assessor parlamentar da Liderança do PT na Câmara dos Deputados e subchefe para assuntos jurídicos da Casa Civil, na gestão de José Dirceu, envolvido no processo do mensalão.

- Ele foi o ministro do STF que no julgamento da chamada Lei da Ficha Limpa garantiu a posse do senador Jader Barbalho (PMDB-PA), mesmo sabendo que ele estava e está com processos na Justiça.

 Toffoli foi um dos que garantiu, aos chamados "contas-sujas", o direito de se candidatarem nas eleições 2012. Leia AQUI.

Toffoli é duas vezes réu! Ele foi condenado pela Justiça em dois processos que correm em primeira instância no estado do Amapá.

Em termos solenemente pesados, a sentença mais recente manda Toffoli devolver aos cofres públicos a quantia de R$ 700.000,00 – dinheiro recebido “indevidamente e imoralmente” por contratos “absolutamente ilegais”, celebrados entre seu escritório e o governo do Amapá. AQUI.

O resultado do julgamento revela a verdadeira face do ministro do STF.

Já Sabemos que a maioria dos Ministros do STF não estão do lado da moral e dos princípios constitucionais, estão a serviço da impunidade que alimenta a corrupção. 

Leia mais AQUI!