24 de mai de 2013

SOM ALTO E PERTURBAÇÃO DO SOSSEGO PROVOCAM TRAGÉDIA: Três mortos por conta de barulhos que imperam em todos bairros das cidades, sem controle, nem ação das autoridades.

DO G1
A mulher do empresário que matou um casal de vizinhos durante uma discussão sobre barulho disse à Polícia Civil que o marido estava abalado desde que descobriu ser portador da síndrome de Guillain-Barré, uma doença que ataca o sistema auto-imune.


A informação foi dada pela esposa do atirador durante depoimento colhido na madrugada desta sexta-feira (24), de acordo a Polícia Civil. O crime ocorreu na noite desta quinta-feira (23), em um condomínio de luxo em Alphaville, em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo.
A dentista Miriam Cecília Amstalden Baida, de 37 anos, e o marido, Fábio de Rezende Rubim, de 40 anos, foram mortos após o vizinho Vicente D'Alessio, empresário do setor de metalurgia, de 62 anos, invadir o apartamento do casal com uma arma por volta das 21h. O homem disparou ao menos seis vezes contra os vizinhos e na sequência se matou. Vicente teria matado o casal após reclamar de barulho. Miriam completaria 38 anos nesta sexta-feira (38).
Segundo a investigação da Polícia Civil, a mulher de Vicente informou que ele usava diariamente um medicamento à base de morfina por causa da síndrome de Guillain-Barré. Ele já havia sido internado por causa da doença. A polícia quer saber agora se algum tipo de surto motivou o assassinato.
Vicente e sua esposa assistiam à televisão quando ele reclamou com a mulher do barulho que vinha do apartamento das vítimas - segundo testemunhas, os vizinhos sempre discutiam por este motivo. O empresário, então, disse à sua esposa que iria resolver o problema de barulho matando Miriam e Fábio. A esposa de Vicente tentou evitar o crime. O empresário, que morava no 11º andar, abaixo do apartamento das vítimas, foi ao andar de cima e matou Miriam e Fábio.
O assassino voltou ao seu apartamento para recarregar a arma, contou à mulher sobre o crime e se matou em seguida, no elevador. A porta do apartamento do casal morto não foi arrombada. Vizinhos, entretanto, disseram ter ouvido chutes. Na porta do quarto do casal há três marcas de tiros.
"Ele teria dito para a mulher que agora seria tudo por conta dela e saiu para o elevador, onde ele teria feito o último disparo", disse Andreas Schiffmann, delegado de Santana de Parnaíba, que investiga do caso. Segundo a polícia, Vicente tinha posse de armas e usou um revólver calibre 38 registrado.
A filha do casal assassinado, de apenas 1 ano e meio, estava no apartamento, mas não se feriu. A menina está com os avós maternos.
O condomínio onde aconteceu o crime fica na altura do número 5.100 da Avenida Marcos Penteado de Ulhoa Rodrigues, no trecho da via em Santana de Parnaíba, em Alphaville. Os corpos foram retirados do prédio e levados para o Instituto Médico Legal de Osasco após a realização da perícia, no início desta madrugada.
A arma do crime foi apreendida. As câmeras de segurança do prédio só fazem o monitoramento e não registraram o crime, segundo as primeiras informações dadas à polícia.
Segundo o Bom Dia São Paulo, o casal assassinado deve ser enterrado em Campinas, no interior de São Paulo.