Acessos

terça-feira, 9 de abril de 2013

DEDO NA FERIDA EXPOSTA: Agora a reivindicação dos homossexuais, depois a reivindicação dos pedófilos e sabe-se lá qual será a próxima aberração sexual de parte da sociedade transviada de hoje.


O artigo abaixo não se trata de intolerância, homofobia ou quaisquer outras alegações para camuflar as coisas, é pura verdade, é científico.

O comportamento homossexual e a pedofilia estão associados como subprodutos do prazer sexual desenfreado.

A espécie humana é a única a apresentar indivíduos com comportamento homossexual. Este não reflete a realidade da espécie humana.

Devido às múltiplas formas de interação sexual, os humanos estão saindo do seu padrão para enveredar por outras loucuras ou aberrações sexuais, sem freios, nem racionalidade.

A ciência não encontrou nenhum fator biológico que explicasse o comportamento homossexual, ou outras práticas sexuais como a zoofilia (sexo com animais), a pedofilia (sexo com crianças) e outras aberrações sexuais impulsionadas por mentes promíscuas.

A conclusão a que qualquer um chega é a de que a prática homossexual é decorrente variabilidade e extensão do prazer sexual sem medida.

O sexo não apresenta outras funções que não apenas a reprodução. Os especialistas apontam que no momento em que o indivíduo é propenso a ter uma vida sexual muito ativa, esta atividade poderia ocorrer das mais diversas formas (isto explica a intensificação do homossexualismo, da pedofilia, da zoofilia e outras aberrações).

Não existe um “gene gay”. A questão é comportamental, seja por frustração de pessoas nos relacionamentos heterossexuais, seja pela busca de novos prazeres, seja pela liberalidade social e cultural.

Fonte: O artigo REFLEXÃO SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE COMO SUBPRODUTO DA EVOLUÇÃO DO PRAZER.
Comentário(s)

2 comentários:

  1. LISBOA9.4.13

    O OUTROLADO.
    pOR Saulo Pinto Silva

    Não sei realmente o que está acontecendo nesta lista. O que mais me surpreende é que se trata de uma lista de estudantes da universidade, ex-alunos, docentes, funcionários, etc. Primeiro, o escritor desta infâmia deveria, ao menos, manter-se atualizado quanto ao avanço nas pesquisas relativas à biologia evolutiva e aos estudos sociais, pois, segundo o médico Drauzio Varella, em exuberante artigo, salienta que o elemento fundamental que constitui a natureza das espécies, isto é, que existe uma dimensão orgânica na natureza das relações sexuais entre membros da mesma espécie. Assim, existem estudos, por exemplo, que provam que em se tratando de homens homossexuais, existe um paralelismo ou semelhança entre sua estrutura mental com a das mulheres heterossexuais, da mesma maneira que mulheres homossexuais possuem um paralelismo em termos de suas estruturas mentais aos homens heterossexuais. Além disso, não existe "homossexualismo", pois não estamos falando de nenhuma doença, mas sim de uma variante sexual que está pautada no caráter de performance do gênero, de uma identidade sexual plástica que desvia-se do padrão heteronormativo autoritário. Somos ontologicamente diferentes. Agora, o que é mais deprimente, é que o infame texto ainda ousar comparar o direito à diversidade sexual a anomias sociais doentias como o caso de pedofilia. Na verdade, a única coisa que deveríamos dizer à infâmia, seria cale-se e não fale mais besteiras, sobretudo numa lista que se propõe a ser educativa, politizada, defensora dos direitos humanos, etc. Há mais fascistas entre nós do que nossa vã consciência possa imaginar.

    ResponderExcluir
  2. As mesmas reivindicações fazem os pedófilos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo
Opine, comente, debata ...